Tags:, , , ,

Os trens do subúrbio

- 13 de julho de 2015

A visão de passageiros que utilizam o transporte diariamente

Jéssica Alves | Foto destaque: Eliel Flicker

A situação das estações e dos trens do Subúrbio Ferroviário de Salvador tem sido o tema das críticas dos usuários do transporte. Em depoimento para o Impressão Digital 126, os entrevistados apontaram a higienização dos banheiros, o atraso na viagem e a falta de manutenção na ferrovia como os principais problemas.

De acordo com a moradora do bairro de Plataforma, Carol Paixão, 23, a higienização nas estações e nos trens não é um problema. Mas, segundo ela, a principal dificuldade consiste nos riscos de acidente que os usuários correm com o transporte. “Os trens são bastante úteis [à população do subúrbio], mas as condições estão precárias”, afirma.A moradora explica que por causa da falta de manutenção dos trens, os usuários  não chegam a completar o destino: “constantemente quebra.  Já ouvi vários relatos de passageiros dizendo que o trem quebrou na viagem”.

(Foto: Herbert Nordson)

Por outro lado, também do bairro da Plataforma, Ednalva dos Santos, 42, conta que o ponto Almeida Brandão não tem sanitários limpos. “Os banheiros de lá não têm torneira, as portas estão com defeitos e falta papel higiênico e sabonete”, relata. Na estação da Calçada, Ednalva diz que os usuários precisam pedir papel higiênico ao serviço de limpeza, o que segundo ela é constrangedor. “Eles dão o papel para você enrolar na mão e entrar no banheiro”. Outro problema identificado por ela consiste na superlotação dos trens, principalmente a partir das 13h e, no início da noite, às 18h.

Na estação da calçada falta portas no banheiro masculino (Foto: Herbert Nordson)

Em março de 2007, o Subúrbio Ferroviário ganhou quatro trens com capacidade para 650 passageiros. No entanto, de acordo com a população ainda não são suficientes. “O tempo de espera de um trem para o outro chega a quase  uma hora e quando algum deles quebra acaba atrasando mais ainda a viagem”, critica Kelly Anne Rodrigues, 19, do Lobato. Ainda segundo Kelly, a cobertura da estação do Lobato é pequena e não dá para todos se protegerem do sol ou nos dias de chuva. Já  Rosa Santos, 37, diz que não vê problemas no ponto do Lobato, apenas nos trens. “Os banheiros, assim como a iluminação da estação, não têm nenhum problema, mas tem que melhorar a superlotação”.

Comparado a 2014, a quantidade de usuários dos trens do subúrbio, diminuiu (Foto: Divulgação/ Ascom CTB)

O sistema ferroviário do subúrbio de Salvador é composto por dez estações que liga o bairro da Calçada ao bairro de Paripe. Ao todo, as linhas são constituídas pelas estações da Calçada, Santa Luzia, Lobato, Almeida Brandão (Plataforma), Itacaranha, Praia Grande, Escada, Periperi, Coutos e Paripe. De acordo com a Companhia de Transportes do Estado da Bahia (CTB), o sistema possui um trajeto de aproximadamente 13,5 km. A passagem custa R$ 0,50 centavos e a meia R$ 0,25 para estudantes. Idosos a partir de 60 anos não pagam. Em média, 10 mil passageiros usam o transporte por dia.

Desde os  14 anos utilizando o transporte, André Miranda, 35, que mora em Paripe, relata que só tem motivos para lamentar ao ver a situação atual dos trens. “O saneamento nas estações e  os horários [de saída] dos trens são  impróprios. Isso é um descaso com quem utiliza”, queixa-se. Para ele, os atrasos acontecem porque apenas os trens antigos funcionam já que os novos estão quebrados.  Ainda de acordo com o Miranda, a insegurança nas estações é  um dos muitos problemas enfrentados pelos passageiros do transporte . “Falta segurança nos vagões. Eu não vejo nenhuma”, lamenta.

Ao todo o sistema ferroviário do subúrbio tem dez estações (Foto: Divulgação/ Ascom CTB)

Em nota, a assessoria de comunicação da CTB informa que os intervalos de um trem para o outro são de 40 a 45 minutos. O horário de abertura das estações é  a partir  das 6h da manhã e o encerramento às 19 h. Questionada sobre a segurança, higienização dos banheiros e defeitos dos trens, a CTB não encaminhou resposta.

FUTEBOL

Afinal, o VAR traz justiça pro brasileirão?

Implementado este ano na competição, recurso ainda causa controvérsias no meio esportivo Por Caio Marco e Victor Fonseca Desde que se tornou popular mundialmente, o futebol sempre foi marcado por polêmicas, especialmente com relação à arbitragem. Pênaltis decisivos não marcados (ou pênaltis mal marcados), gols de mão, impedimentos, dentre outras controvérsias se mantêm na pauta […]

Caio Marco, Victor Fonseca - 13 de novembro de 2019

Desconectados

Status: Desconectado

Em tempos de relações on-line, jovens baianos andam na contramão e defendem que a boa conexão está fora da tela Por Carlos Magno e Thídila Salim Com um misto de funcionalidades, os smartphones se tornaram peças indispensáveis na vida de muita gente por todo o mundo, seja para auxiliar no trabalho ou para puro lazer. […]

Carlos Magno, Thídila Salim - 13 de novembro de 2019

Futebol feminino

A bola está com elas

Beatriz Rosentina, Elias Santana Malê, Ingrid Medina e Larissa Travassos 13 de novembro de 2019 A bola está no campo e quem veio jogar foram elas, as mulheres, que cada vez mais ganham visibilidade a partir das iniciativas para esta modalidade. Com uma história marcada por mais de 40 anos de proibição da prática no Brasil, a […]

Beatriz, Elias, Ingrid, Larissa - 13 de novembro de 2019

Saúde mental

Saúde mental e vida universitária: Seria a universidade um ambiente tóxico?

Foto: Marcelo Camargo Danilo Gois e Iuri Petitinga O sonho de ingressar em uma universidade pública é algo que acompanha quase todos os estudantes de ensino médio no Brasil. Muitos destes alunos não imaginam que a pressão do período pré-vestibular não para após o ingresso em um curso superior e uma parte destes alunos não consegue […]

Danilo Rodrigues e Fernando Iuri Petitinga - 18 de novembro de 2019

Algodão

Crescimento de 17% na safra de Algodão da Bahia assegura o estado como 2º exportador mundial

Região é explorada desde os anos 1980, marcada pela presença de “baiúchos” Ellen Chaves, Fernando Franco, Welldon Peixoto e Pedro Oliveira Foto: Welldon Peixoto O ano de 2019 já aponta 17% de aumento na safra de algodão no cenário baiano, segunda maior cultura da região. O oeste é responsável pela maior parte da produção do […]

Ellen Chaves, Fernando Franco, Welldon Peixoto - 18 de novembro de 2019

Consumo cultural

Popular para quem? Por trás da dinâmica do consumo cultural em Salvador

Apesar de uma vasta programação cultural e artística,  parte da população de Salvador não frequenta esses eventos  Lizandra Santana, Luciano Marins e Luana Gama Salvador é uma cidade que respira cultura. Por quase todos os cantos encontramos espaços culturais com uma programação diversificada, além de festivais realizados ao longo do ano. Ao mesmo tempo, parte […]

Lizandra Santana, Luciano Marins e Luana Gama - 13 de novembro de 2019