Tags:, , , , ,

Conceito de acessibilidade evolui e traz novos significados

- 16 de julho de 2011

A discussão sobre o tema passa pela questão do acesso urbanístico e cognitivo

Por Leonardo Pastor e Naiá Braga

 

Em maio deste ano, a Prefeitura Municipal de Salvador concluiu a instalação da Comissão Permanente de Acessibilidade do Município (CPA), criada a partir do Decreto Municipal n° 16.785/2006, alterado pelo Decreto 20.277/2009. A comissão é responsável por promover a acessibilidade das pessoas com deficiência e está ligada à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Habitação e Meio Ambiente (Sedham). Ela deve atuar como uma instância consultiva sobre normas relativas à acessibilidade e deliberativa quanto às ações integradas nos diversos órgãos municipais, com o intuito de eliminar as barreiras arquitetônicas, urbanísticas, de transportes e de comunicação, sempre de acordo com o Decreto Federal 5296/04 (abrange normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade pelos poderes públicos).

Cadeirante utilizando transporte público em Salvador. Foto: Leonardo Pastor / Labfoto

Segundo Romeu Sassaki, assistente social e membro do Centro de Vida Independente Araci Nallin, no final da década de 40 e início da seguinte, o termo “acessibilidade” designava quase que exclusivamente a reintegração física e profissional da pessoa com determinado tipo de deficiência. Em 1981, Ano Internacional das Pessoas com Deficiência Física, a palavra ganhou uma ampliação do significado e “reintegração” deu lugar à “inclusão”.  Neste momento, o planejamento arquitetônico e urbanístico das cidades não deveria ser adaptado em função da pessoa portadora de deficiência, mas, previamente pensado incluindo as necessidades específicas dessas pessoas. Mas, foi somente na década de 90 que a palavra se livrou da clausura do “urbanístico” e deu lugar a um conceito amplo que se refere às necessidades socioculturais e cognitivas da pessoa portadora de deficiência. Por isso, acessibilidade passa estar diretamente ligada à cidadania.

Em 2009, a Coordenadoria Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência (Corde) deu lugar à Subsecretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SNPD) que coordena o Programa Nacional de Acessibilidade e o Programa de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Através de convênios, termos de parcerias e ajustes, a subsecretaria financia a realização de estudos e pesquisas sobre temas relativos à pessoa com deficiência, o que permite a criação de políticas públicas eficientes e que possam ser monitoradas posteriormente.

Na Bahia, a Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos atua com a existência do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Coede), criado em 2002, que tem por função  a criação de políticas e diretrizes além da avaliação dos programas e ações governamentais voltados para as pessoas com deficiência. Dos 30 conselheiros do órgão, 15 são representantes governamentais e os outros 15 são membros da sociedade civil.

 

Continue lendo

A Apae e os desafios do acesso em Salvador
Fazendo a acessibilidade possível através da audiodescrição
Acessibilidade também na internet

FUTEBOL

Afinal, o VAR traz justiça pro brasileirão?

Implementado este ano na competição, recurso ainda causa controvérsias no meio esportivo Por Caio Marco e Victor Fonseca Desde que se tornou popular mundialmente, o futebol sempre foi marcado por polêmicas, especialmente com relação à arbitragem. Pênaltis decisivos não marcados (ou pênaltis mal marcados), gols de mão, impedimentos, dentre outras controvérsias se mantêm na pauta […]

Caio Marco, Victor Fonseca - 13 de novembro de 2019

Desconectados

Status: Desconectado

Em tempos de relações on-line, jovens baianos andam na contramão e defendem que a boa conexão está fora da tela Por Carlos Magno e Thídila Salim Com um misto de funcionalidades, os smartphones se tornaram peças indispensáveis na vida de muita gente por todo o mundo, seja para auxiliar no trabalho ou para puro lazer. […]

Carlos Magno, Thídila Salim - 13 de novembro de 2019

Futebol feminino

A bola está com elas

Beatriz Rosentina, Elias Santana Malê, Ingrid Medina e Larissa Travassos 13 de novembro de 2019 A bola está no campo e quem veio jogar foram elas, as mulheres, que cada vez mais ganham visibilidade a partir das iniciativas para esta modalidade. Com uma história marcada por mais de 40 anos de proibição da prática no Brasil, a […]

Beatriz, Elias, Ingrid, Larissa - 13 de novembro de 2019

Saúde mental

Saúde mental e vida universitária: Seria a universidade um ambiente tóxico?

Foto: Marcelo Camargo Danilo Gois e Iuri Petitinga O sonho de ingressar em uma universidade pública é algo que acompanha quase todos os estudantes de ensino médio no Brasil. Muitos destes alunos não imaginam que a pressão do período pré-vestibular não para após o ingresso em um curso superior e uma parte destes alunos não consegue […]

Danilo Rodrigues e Fernando Iuri Petitinga - 18 de novembro de 2019

Algodão

Crescimento de 17% na safra de Algodão da Bahia assegura o estado como 2º exportador mundial

Região é explorada desde os anos 1980, marcada pela presença de “baiúchos” Ellen Chaves, Fernando Franco, Welldon Peixoto e Pedro Oliveira Foto: Welldon Peixoto O ano de 2019 já aponta 17% de aumento na safra de algodão no cenário baiano, segunda maior cultura da região. O oeste é responsável pela maior parte da produção do […]

Ellen Chaves, Fernando Franco, Welldon Peixoto - 18 de novembro de 2019

Consumo cultural

Popular para quem? Por trás da dinâmica do consumo cultural em Salvador

Apesar de uma vasta programação cultural e artística,  parte da população de Salvador não frequenta esses eventos  Lizandra Santana, Luciano Marins e Luana Gama Salvador é uma cidade que respira cultura. Por quase todos os cantos encontramos espaços culturais com uma programação diversificada, além de festivais realizados ao longo do ano. Ao mesmo tempo, parte […]

Lizandra Santana, Luciano Marins e Luana Gama - 13 de novembro de 2019