Tags:, , , , ,

A Apae e os desafios do acesso em Salvador

- 11 de julho de 2011

As carências da cidade em relação às facilidade de acesso aos deficientes

Por Leonardo Pastor e Naiá Braga

“Uma coisa é acessibilidade física, arquitetônica, outra coisa é a mudança de paradigma, de preconceito que as pessoas ainda têm em relação à deficiência.” Assim, Maria do Carmo Britto de Morais, presidente da Associação de Pais e Amigos dos Exepcionais (Apae), da unidade de Salvador, coloca em evidência um ponto fundamental nas discussões que envolvem deficiência e acessibilidade. A reformulação do conceito de “acessibilidade” é o grande desafio das instituições que lidam com a pessoa portadora de deficiência no Brasil. De acordo com a presidente, o tema ainda precisa ser discutido em espaços de ampla difusão de conhecimento, como as escolas, o que implicaria diretamente na mudança de mentalidade das pessoas.

Maria do Carmo de Morais, presidente da Apae-Salvador. Foto: Leonardo Pastor / Labfoto

Atualmente, a Apae Salvador trabalha com a inclusão de 178 crianças que ficam na instituição duas vezes na semana e os outros dias em escolas regulares. Depois de completarem 16 anos, os jovens são encaminhados  ao Centro de Formação e Acompanhamento Profissional (Ceduc), onde são avaliados em relação às  suas habilidades e são encaminhados para as oficinas. Segundo Maria do Carmo de Morais, durante as atividades realizadas nestas oficinas os jovens são preparados para a inserção no mercado de trabalho, e, a depender do tipo de deficiência, a preparação pode ser mais lenta ou mais rápida. Hoje, a Apae Salvador trabalha em parceria com 46 empresas e possui 206 jovens atuando no mercado de trabalho. Em 2010, o programa de inclusão capacitou 570 profissionais da rede regular de ensino.

Questionada sobre as principais dificuldades encontradas em Salvador, Maria do Carmo de Morais afirma que a estrutura arquitetônica da capital baiana ainda é um desafio a ser vencido. Além disso, a criação de leis no município precisa contemplar a inclusão das necessidades dos portadores de deficiência. Morais afirma ainda que é necessário existir “demanda política” para a efetivação de obras ou projetos em prol da pessoa portadora de deficiência. Segundo ela, sem demanda política do tema, os orçamentos municipais ou estaduais nunca irão prever a consolidação de projetos específicos para o deficiente. A Apae Salvador participa da Comissão Civil de Acessibilidade de Salvador, integrante das discussões dos projetos urbanísticos da cidade. A instituição participa também de conselhos de direitos e assistência dos portadores de deficiência, a exemplo da Câmara de Políticas Públicas e da coordenação do Fórum da Criança e do Adolescente.

Mila D'Oliveira, bacharel em Direito. Foto: arquivo pessoal

 

Falta de conscientização – As reclamações em relação à estrutura da cidade é algo que surge especialmente por parte dos que enfrentam diretamente este problema. Mila Correa D’Oliveira, 23 anos e bacharel em Direito, diz que “a cidade é caótica para o deficiente”. Ela possui amiotrofia espinhal tipo II, não andando desde os 4 anos e necessitando de cadeira de rodas desde os 8. “As calçadas são impossíveis de se andar, não há rampas nem piso adequado. Não se vê semáforos sonoros, se vê pouco piso tátil e vagas para carro são feitas de qualquer jeito, sem seguir a norma, e ainda nem são respeitadas”, reclama. Além da estrutura urbana, o transporte público, além de receber críticas de grande parte da população de Salvador, ainda não se mostra satisfatório em acessibilidade para os deficientes físicos.

Toda a questão da acessibilidade, porém, passa por políticas de conscientização. Segundo Mila Correa, as pessoas em geral ainda não se acostumaram a lidar com deficientes, desrespeitando vagas de estacionamento e acesso a banheiros especiais com portas maiores. “Se você não conhece o “diferente”, você não o respeita. Vai ser difícil as pessoas entenderem o por quê de uma vaga acessível, de um piso tátil, se elas não pararem para perceber o outro, suas necessidades, suas capacidades e, acima de tudo, como o diferente pode ser bem semelhante a você, com os mesmos desejos, medos e anseios”, desabafa.

 

Continue lendo

Conceito de acessibilidade evolui e traz novos significados
Fazendo a acessibilidade possível através da audiodescrição
Acessibilidade também na internet

 

FUTEBOL

Afinal, o VAR traz justiça pro brasileirão?

Implementado este ano na competição, recurso ainda causa controvérsias no meio esportivo Por Caio Marco e Victor Fonseca Desde que se tornou popular mundialmente, o futebol sempre foi marcado por polêmicas, especialmente com relação à arbitragem. Pênaltis decisivos não marcados (ou pênaltis mal marcados), gols de mão, impedimentos, dentre outras controvérsias se mantêm na pauta […]

Caio Marco, Victor Fonseca - 13 de novembro de 2019

Desconectados

Status: Desconectado

Em tempos de relações on-line, jovens baianos andam na contramão e defendem que a boa conexão está fora da tela Por Carlos Magno e Thídila Salim Com um misto de funcionalidades, os smartphones se tornaram peças indispensáveis na vida de muita gente por todo o mundo, seja para auxiliar no trabalho ou para puro lazer. […]

Carlos Magno, Thídila Salim - 13 de novembro de 2019

Futebol feminino

A bola está com elas

Beatriz Rosentina, Elias Santana Malê, Ingrid Medina e Larissa Travassos 13 de novembro de 2019 A bola está no campo e quem veio jogar foram elas, as mulheres, que cada vez mais ganham visibilidade a partir das iniciativas para esta modalidade. Com uma história marcada por mais de 40 anos de proibição da prática no Brasil, a […]

Beatriz, Elias, Ingrid, Larissa - 13 de novembro de 2019

Saúde mental

Saúde mental e vida universitária: Seria a universidade um ambiente tóxico?

Foto: Marcelo Camargo Danilo Gois e Iuri Petitinga O sonho de ingressar em uma universidade pública é algo que acompanha quase todos os estudantes de ensino médio no Brasil. Muitos destes alunos não imaginam que a pressão do período pré-vestibular não para após o ingresso em um curso superior e uma parte destes alunos não consegue […]

Danilo Rodrigues e Fernando Iuri Petitinga - 18 de novembro de 2019

Algodão

Crescimento de 17% na safra de Algodão da Bahia assegura o estado como 2º exportador mundial

Região é explorada desde os anos 1980, marcada pela presença de “baiúchos” Ellen Chaves, Fernando Franco, Welldon Peixoto e Pedro Oliveira Foto: Welldon Peixoto O ano de 2019 já aponta 17% de aumento na safra de algodão no cenário baiano, segunda maior cultura da região. O oeste é responsável pela maior parte da produção do […]

Ellen Chaves, Fernando Franco, Welldon Peixoto - 18 de novembro de 2019

Consumo cultural

Popular para quem? Por trás da dinâmica do consumo cultural em Salvador

Apesar de uma vasta programação cultural e artística,  parte da população de Salvador não frequenta esses eventos  Lizandra Santana, Luciano Marins e Luana Gama Salvador é uma cidade que respira cultura. Por quase todos os cantos encontramos espaços culturais com uma programação diversificada, além de festivais realizados ao longo do ano. Ao mesmo tempo, parte […]

Lizandra Santana, Luciano Marins e Luana Gama - 13 de novembro de 2019