Tags:, , ,

Venezuelanos tentam nova vida no Brasil

Cristiane Schwinden e Levy Teles - 27 de novembro de 2018

Fugindo de uma grave crise político-econômica, aproximadamente 200 venezuelanos tentam uma nova vida na Bahia

Deixar para trás sua residência e seu país de origem não é uma decisão fácil. O drama é ainda maior quando o êxodo é, na verdade, uma fuga. Por conta de uma grave crise sócio-econômica, milhares de venezuelanos têm fugido para o Brasil  atravessando a fronteira com Roraima em busca de melhores condições de vida.Uma parcela desse fluxo migratório teve como destino a Bahia. A Paróquia da Ascensão do Senhor, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), estima ter acolhido cerca de 100 venezuelanos. Já o projeto ‘Refúgio em Salvador’, da Unifacs, organizado por Rafaela Ludolf, coordenadora do Núcleo de Práticas em Economia e Relações Internacionais, atende cerca de 30 venezuelanos com aulas de português e gramática. No interior, as cidades de Alagoinhas e Jequié somam mais 30 refugiados.

Numa parceria entre o Governo Federal do Brasil, a Organização das Nações Unidas (ONU) e uma ONG, criou-se uma ação de interiorização de refugiados, a partir do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), que auxilia a relação dos venezuelanos no pedido de refúgio com Brasil. A Bahia é o primeiro estado brasileiro a receber refugiados venezuelanos com ocupação remunerada garantida. No total, 25 venezuelanos foram para Alagoinhas, onde já têm emprego numa empresa peruana de bebidas. Outros cinco refugiados permanecem em Salvador.

Em Jequié, sudoeste da Bahia, a Igreja Batista local também acolheu venezuelanos, como é o caso da família de Pedro Salcedo González, de 50 anos, que chegou à cidade há 10 meses. Sua esposa, Norelis, está grávida de 5 meses, e eles pretendem ter o filho em Jequié. Pedro conta que é chef de cozinha crioula nacional, e que abandonou a Venezuela por conta do governo opressivo de Maduro e a situação fora de controle no país. Passaram um tempo em Boa Vista, capital de Roraima, mas nada conseguiram. Em contato com grupos cristãos, conseguiram seguir para a Igreja Batista de São Paulo com ajuda da ONU, juntos a outros 28 refugiados. Por meio de contato com um pastor de Jequié, conseguiram partir para a cidade baiana com recursos da Igreja.

Pedro Salcedo González, chef de cozinha venezuelano (Fonte: Reprodução / Acervo Pessoal)

Pedro e sua esposa foram bem recebidos pela comunidade local e têm planos de permanecer em Jequié até o governante da Venezuela mudar e o país se reerguer. Segundo ele, o desejo dos refugiados é o de retornar para sua pátria mãe futuramente. Sobre o novo governo que assumirá o Brasil, ele acredita que seja solidário com todos os imigrantes e espera que ajude a Venezuela.

Crise começou no governo de Hugo Chavez

Mesmo antes da morte do presidente Hugo Chávez, há cinco anos, a Venezuela já dava sinais de declínio: o preço do barril de petróleo, que é a base da economia da Venezuela, apresentava baixa de preço. Nicolás Maduro assumiu o país tentando manter a mesma política populista bolivariana de seu antecessor. O resultado foi desastroso. Nos mercados, imperam as grandes filas e faltam alimentos, além de produtos de higiene e remédios. Para 2018, o FMI prevê que a inflação atingirá 1.350.000% ao ano, com aumento exorbitante do preço de insumos básicos. A economia, ainda de acordo com o Fundo, recuará 18% em 2018, e 5% em 2019. Em 2017, o PIB (Produto Interno Bruto) da Venezuela recuou 14% — quarta queda anual consecutiva.

Em agosto deste ano, Maduro lançou um pacote para conter a hiperinflação e anunciou o corte de cinco zeros da moeda local, que passou a se chamar bolívar soberano. Porém, as medidas não têm surtido efeito, e a repressão aos movimentos contrários fica cada vez mais forte. As ruas se enchem de uma oposição cada vez mais radical, que encontra uma resposta também radical por parte do governo do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), já há 18 anos no poder.O governo opressivo de Maduro age quando o povo não gosta de suas regras. Estamos cansados da ditadura do regime de Maduro — somos um povo de protesto, mas eles nos calam”, conta o chef Pedro Salcedo González.

Cronologia da crise na Venezuela

Igrejas ajudam no deslocamento e abrigo

A crise econômica é, hoje, a maior responsável pelo aumento no número de venezuelanos que pedem refúgio. No Brasil há um mês, Daniel, 34, e Daniela, 36, e o filho Aaron, 7, são uma família de venezuelanos, que, diante da crise, decidiram sair do país. “Em nosso caso, o problema é econômico — como o de muitos. O que nos fez sair foi a falta de apoio na área de saúde, de não ter remédio para nosso filho, e a comida é muito cara. Desejo dar o melhor para o meu filho e me doía muito ir para um hospital e saber que não tinha um médico. Essa foi uma das razões para sair do país”, revela Daniela.

Antes moradores do Estado de Carabobo, a norte da Venezuela, a família decidiu vir para o Brasil, que fica a 30h de distância, em vez da Colômbia. Apesar de mais próximo, o país se encontrava sobrecarregado com a chegada de refugiados venezuelanos.

Hoje, com o auxílio do Acnur, a cidade de Pacaraima, em Roraima, fronteira com a Venezuela, ajuda os venezuelanos a conseguirem documentação para continuar no Brasil. Daniel conta que durante o processo de vinda ao Brasil, o posto da ONU resolveu todos os problemas burocráticos com a entrada no país. “Enquanto fazíamos os documentos, ficávamos em Santa Helena, na Venezuela, que fica a 15 minutos de Pacaraima. Dormíamos lá e voltávamos ao Brasil”, recorda Daniel.

A estadia deles em Roraima foi curta — foram apenas quatro dias. Testemunhas de Jeová, a família contou com o auxílio de outros companheiros de fé, que fizeram a articulação com outros membros da religião de Salvador para trazê-los à Bahia. “Nossa solidariedade é internacional e isso certamente nos ajudou”, conta Daniela.

O clima de apreensão que toma a Venezuela cria situações desesperadoras. Contudo, muitos não preferem esperar. “Quando fomos de Pacaraima para Boa Vista, capital do Estado, vimos pessoas caminhando — e é uma caminhada que levam dias. Por causa da crise, as pessoas não têm dinheiro e acabam indo andando até Boa Vista”, revela Daniela.

Uma nova oportunidade

Segundo a Polícia Federal, 127 mil pessoas cruzaram a fronteira da Venezuela para o Brasil de 2017 até o primeiro semestre deste ano. A situação de crise no território brasileiro levou a uma série de ataques xenofóbicos a venezuelanos, levando até a casos de morte.

O plano de interiorização de refugiados levou a 1.098 venezuelanos serem transferidos para estados como São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e Paraná. Alguns destes vieram para a Bahia e dezenas de venezuelanos já fazem presença em Salvador. Coordenadora do programa Refugiados na Unifacs, a professora Rafaela Ludolf conta que aproximadamente 25 pessoas participam do programa dela, em sua maioria, venezuelanos.

“Além das aulas de português instrumental, ajudamos também com aulas de empreendedorismo para que eles possam entrar no mercado de trabalho”, conta Rafaela. Apesar da proximidade dos idiomas, a barreira ainda prejudica a convivência dos venezuelanos no Brasil. “As pessoas não estão acostumadas com pessoas que não falam português. Uma vez, na farmácia, perguntei por um remédio para comprar, mas não lembrava o nome exato. Quando fui perguntar a funcionária, ela disse que não falava inglês”, lembra Daniela, às gargalhadas.

Nem ela, nem seu marido, Daniel, estão trabalhando formalmente. Mesmo com as dificuldades, eles contam que esse mês já apresentou melhoras na qualidade de vida. “Lá, se a gente escolhia comer carne, tínhamos que escolher se iríamos comer frango; se escolher frango, não teria dinheiro para grãos; se escolher comer arroz, não teria como comprar macarrão. Aqui podemos escolher o que vamos comer”, conta Daniel. “Na Venezuela, não são todos que têm smartphones. Meu marido, que trabalhava com vendas por lá, teve que usar o mesmo telefone por quatro anos, dividindo comigo ainda”, diz Daniela. “Tenho o meu telefone também!”, avisa o pequeno Aaron, ao ouvir sua mãe falar sobre smartphones.

Documentário apoia refugiados

Foi assinado em 24 de julho de 1998, em Ushuaia, na Argentina, inicialmente pelos quatro estados membros de MERCOSUL, (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai), mais dois Estados associados (Bolívia e Chile), um tratado reafirmando o compromisso democrático entre os Estados membros do MERCOSUL. A Venezuela entrou no acordo em 2005.

Documentarista Dado Galvão (centro) junto a políticos de outras países da América do Sul, no Congresso do Uruguai. 11 de setembro de 2018. Fonte: http://www.missaoushuaia.org/



Dado Galvão é um documentarista e ativista político que reside atualmente em Jequié e toca o projeto Missão Ushuaia. O projeto, de cunho cultural e humanitário, nasceu em 2015, quando foi enviada uma bandeira do Mercosul para o autor Carlos Javier Arenciba Castro, autor do livro “Testimonios de la represión”. Na bandeira, aparecem assinaturas e mensagens com pedido de que se protocolo de Ushuaia, que garante o cumprimento de todos os direitos humanos aos cidadãos destes países.

Eles também estimulam que pessoas de vários países escrevam cartas, que serão entregues aos parlamentares dos países membros do MERCOSUL. Tudo será arquivado para um futuro documentário, que conta com colaboração do fotógrafo Arlen Cezar e a ativista Evelyn Pinto Diaz. 

 

Especial

Guerra da Água

No cerrado baiano, o agronegócio impacta a sobrevivência das comunidades tradicionais. A reportagem em áudio conta como a população de Correntina, no oeste da Bahia, tem sofrido ameaças e resistido à disputa por água em seu te Dê play e saiba mais sobre essa história. Material produzido a partir da proposta de pauta vencedora da […]

Leonardo Lima e Luísa Carvalho - 13 de dezembro de 2021

Editorial

Investigação participativa: reportagens que colocam o leitor no centro da história

Profa. Lívia Vieira As 13 reportagens multimídia feitas pela turma de Oficina de Jornalismo Digital em 2021.2 tiveram como base o conceito de investigação participativa. O termo, que em inglês é conhecido como engagement reporting, foi discutido em uma aula especial que tivemos com Giulia Afiune, editora de Audiências da Agência Pública. Na ocasião, Giulia […]

Profa. Lívia Vieira - 2 de dezembro de 2021


Racismo religioso

Salvador ainda é um ambiente inseguro para os praticantes de religiões afro

Dentro de casa ou no trabalho, praticantes de religiões de matrizes africanas relatam dificuldades na tentativa de exercer seu direito ao culto religioso. Expressões depreciativas, ataques a terreiros, xingamentos e até agressões. É assim que o racismo religioso se traveste de “opinião” em diversas partes do Brasil – incluindo Salvador, – uma das cidades mais […]

Josivan Vieira e Gabriele Santana - 1 de dezembro de 2021

Meio Ambiente

Salvador, primeira cidade planejada do Brasil, sofre com falta de infraestrutura

Habitantes de Salvador relatam problemas dos bairros onde vivem e denunciam falta de assistência do poder público. Os moradores de Salvador têm orgulho de dizer que vivem na primeira capital do Brasil. De propagandas até conversas em mesa de bar, soteropolitanos e pessoas que adotaram a cidade do axé e do dendê se gabam de […]

Brenda Roberta, Inara Almeida e Maysa Polcri - 1 de dezembro de 2021

Direito ao transporte

Assaltos a ônibus assustam população de Salvador

Cidadãos que dependem do transporte público relatam a experiência de insegurança cotidiana, embora Secretaria de Segurança Pública afirme que houve redução no número de assaltos a ônibus. Por Gilberto Barbosa, Leonardo Oliveira e Cesar Oliveira Os assaltos a ônibus são uma constante e assustam a população de Salvador que depende do transporte público para seguir […]

Gilberto Barbosa, Leonardo Oliveira e Cesar O. - 1 de dezembro de 2021

Direito à Cultura

Consumo de livros digitais aumenta e obras físicas têm baixa durante pandemia de Covid-19

Especialistas explicam que pandemia impulsionou mudança em formato de leitura. Por Adele Robichez, Felipe Aguiar, Nathália Amorim, Vinícius Harfush Um levantamento realizado pela reportagem em Salvador indicou que as pessoas passaram a consumir mais livros no formato digital durante a pandemia de covid-19. Segundo a pesquisa, que selecionou 68 moradores da capital para responder perguntas […]

Adele R, Felipe A, Nathália A, Vinícius H - 1 de dezembro de 2021

Economia criativa

Os desafios de viver de arte durante a pandemia

Assim como nós humanos, a economia foi imensamente impactada pelo distanciamento social, mas, felizmente, uma possível vacina para curar o problema já existe, e se chama criatividade. Não é exagero afirmar que nenhum brasileiro e nenhuma brasileira escapou ileso dos diversos e inesperados desafios vividos nos anos de 2020 e 2021. E eles têm um […]

Paulo Marques - 1 de dezembro de 2021

Direito à religião

Comunidades de matriz africana lutam por prática religiosa em espaços públicos de Salvador

Intervenções em locais comunitários preocupam terreiros que dependem da vegetação natural para exercer cultos Por Geovana Oliveira, Luana Lisboa, Victor Hugo Meneses e João Marcelo Bispo Até hoje, a vodunsi Mãe Cacau se emociona ao falar sobre o início das obras para a Estação Elevatória de Esgoto na Lagoa do Abaeté. Quando as máquinas chegaram […]

Geovana, Luana, Victor Hugo e João Marcelo - 1 de dezembro de 2021

Ordem de despejo

O caso da comunidade do Tororó, em Salvador, e a violação do direito à moradia

Moradores recebem ordem de despejo da localidade que está sendo especulada para construção de um estacionamento de um novo Shopping Center “Como os moradores são quase todos do mercado informal, a prefeitura ligava para eles e oferecia dinheiro. Como estavam todos sem dinheiro, começaram a negociar com a prefeitura. Nisso, com quem já tinha negociado, […]

Álene Rios, Júlia Lobo e Thainara Oliveira - 1 de dezembro de 2021

Cinema de rua

Histórias de quem viveu o cinema de rua de Salvador

Entenda o que aconteceu entre a época de ouro do cinema de rua e a expansão das grandes redes Tomar um café enquanto espera o horário do filme, entrar numa sala de cinema pequena, com menos de 100 lugares, para assistir a uma produção nacional. Esse ritual, muito comum até a década de 1990, é […]

Carol Cerqueira, Catarina Carvalho e Maria Andrade - 1 de dezembro de 2021

Direito à mobilidade

Pessoas com deficiência denunciam falta de acesso ao transporte de Salvador

Falta de fiscalização afeta funcionamento de elevadores em coletivos. Gabrielle Medrado, Gustavo Arcoverde, Marcela Villar e Rafaela Dultra Cadeirante desde 2014 após uma tentativa de assalto, o baiano Luan Veloso, 32, é paracanoísta profissional e terceiro colocado no ranking dos melhores do Brasil na maratona de sua categoria, a KL1, na qual atletas utilizam como […]

Gabrielle Medrado,Gustavo Arcoverde,Marcela Villar - 1 de dezembro de 2021

RAP em Salvador

O ritmo não para: batalhas de rima movimentam a cultura nas comunidades

Batalhas de rap voltam a acontecer em Salvador após suspensão causada pela pandemia de Covid-19 Após quase um ano e meio da pandemia de Covid-19, o setor artístico e cultural soteropolitano começou a tomar fôlego com a última fase de retomada das atividades econômicas, decretada pela prefeitura da capital baiana no dia 9 de julho […]

Danielle Campos, Kamille Martinho, Renata Falcone - 1 de dezembro de 2021

Direito à Segurânça

Não vá que é barril: A violência contra motoristas de aplicativo em Salvador

“Foi quando ele pegou a arma e apontou na minha cara, aí foi complicado”. Estamos na rua Candinho Fernandes, Fazenda Grande do Retiro, Salvador. São 8h30 da noite do dia 23 de dezembro de 2019, perto da véspera de Natal. Anselmo Cerqueira, que é motorista por aplicativo, está com o carro estacionado. Dois homens se […]

Adriano Motta, Lula Bonfim e Victor Lucca Ferreira - 1 de dezembro de 2021

Gerar problemas não é saudável

Consumidores relatam transtornos e dificuldades com planos de saúde

Mensalidades  subiram  quase 50% este ano, conforme aponta um levantamento divulgado pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) Por Andressa Franco, Everton Ruan e Laisa Gama No dia 25 de Março, Maria*, grávida de cinco meses, precisou ser encaminhada às pressas para o Hospital Santo Amaro. Ao chegar lá, precisou realizar uma cesária de […]

Andressa Franco, Everton Ruan e Laisa Gama - 1 de dezembro de 2021