Tags:, ,

Sexualidade na infância: a desconstrução do bicho de sete cabeças

- 9 de março de 2016

Histórias de pássaros que cruzam os céus entregando bebês foi, por muito tempo, uma estratégia desconfortável e ineficaz para falar sobre sexo com crianças

Jade Giallorenzo e Thiago Andrill | Foto destaque: Jade Giallorenzo

A educação sexual infantil, a partir dos 7 anos, foi obrigatoriamente incluída no ensino, desde 1997, pelo Ministério da Educação. O ambiente escolar possui um fundamental papel na formação. É responsabilidade das instituições, onde ocorrem as primeiras interações afetivas entre as crianças, promover esclarecimento nos primeiros anos de vida.

Experiências de carinho e intimidade na infância, assim como o contato com o corpo, são essenciais para a construção de uma vida sexual adulta saudável. Apesar das escolas entrevistadas acreditarem que essas questões devam ser tratadas com naturalidade, por muito tempo, não foi esta a política adotada pelos educadores. Manifestações infantis de sexualidade eram veementemente ignoradas e reprimidas em sala de aula.

Segundo a diretora da Escola Acalento, Miriam Von Hauenschild, ignorância e uma restrita conduta moral tiveram, e ainda têm, grande influência neste comportamento. ”O tópico do prazer sexual na infância é desconhecido e evitado por muitos adultos, pois as gerações anteriores foram educadas a não valorizar e discutir o gozo. É difícil imaginar que um ser socialmente construído na posição de imaculado, como a criança, possa sentir prazer. Sexo ocasionalmente é conectado à ideia de sujeira”, afirma.

A diretora Miriam Von Hauenschild | Foto: Jade Giallorenzo

A instituição é seguidora da pedagogia Waldorf, que consiste no estímulo à liberdade do indivíduo por meio de autonomia e orientação. As conversas sobre sexo são iniciadas a partir do momento que a criança desperta curiosidade sobre o próprio corpo e o dos amigos. A escola acredita que não existe uma idade preestabelecida para tratar o assunto, sendo papel do educador observar e ser sensível ao desenvolvimento e tempo do indivíduo. ”Cada criança possui um processo de amadurecimento só seu. Não há pressa de conversar sobre o tema ao menos que ela demonstre interesse e questione. Quando manifesta, temos que esclarecer seus questionamentos e mostrar para ela que é normal”, pondera a diretora.

Construção da individualidade no âmbito social

Considerando que os pequenos não têm capacidade de compreender o que nunca lhes foi explicado, é responsabilidade da coordenação pedagógica mediar as primeiras manifestações a respeito da sexualidade. ”Uma aluna sempre tocava as zonas erógenas na frente da turma. Nunca recriminamos e envergonhamos o ato. Tirar dúvidas e direcionar a atenção para outra atividade em situações sociais é a atitude correta”, afirma Miriam Von Hauenschild.

De acordo com a psicóloga infantil Lorena Pimenta, noções de sexualidade interligando o âmbito individual ao social são essenciais à formação sexual. ”O corpo produz prazer e a curiosidade sobre ele é saudável. Entretanto, em relação às atitudes autoeróticas, a criança precisa ser informada que elas não podem ser realizadas em qualquer contexto e por adultos”, diz.

'A psicóloga infantil Lorena Pimenta acredita que a curiosidade infantil sobre o corpo é saudável / Foto: Jade Giallorenzo

Além do estímulo à individualidade, dinâmicas e atividades em grupo são fundamentais ao processo infantil de exploração da sexualidade. Por meio da troca de informações, as crianças constroem percepções coletivas.

Na Escola Experimental, a diretora Thaís Almeida produz com o corpo técnico pedagógico, atividades sobre a temática. ”Realizamos projetos didáticos que trabalham com a questão do corpo. Com os alunos do 2º ano, temos o ”Cuide-se bem”, que ensina às crianças noções fundamentais de higiene. O ”Corpo Humano”, para os alunos do 3º ano, explora os sistemas, inclusive o reprodutor. Por fim, o ”Meu Corpo Está Mudando. Por Quê?”, onde os alunos compreendem as mudanças físicas pelas quais estão passando, como o nascimento de pelos e desenvolvimento das mamas”, diz.

A diretora Thaís Almeida explica as dinâmicas realizadas na Escola Experimental / Foto: Jade Giallorenzo'

Para a diretora, as dinâmicas também possuem a finalidade de estreitar os laços entre criança e família. ”Os alunos passam a olhar para o corpo com curiosidade científica, ampliando a naturalidade com a qual elas lidam com sexo. Essa tranquilidade é benéfica na relação com os pais, que, por sua vez, também precisam inspirar confiança e abertura”, afirma.

Articulação casa-escola

O comportamento dos pais reflete profundamente nos valores apreendidos pela criança em relação ao sexo. A educação sexual sempre se faz presente na família, mesmo nos núcleos que nunca falam abertamente sobre o assunto. ”Eles geralmente não sabem lidar com os questionamentos e ficam constrangidos. A escola tem papel vital na orientação”, diz. O fortalecimento da relação professor/pais apenas traz benefícios à formação infantil, cabendo à instituição de ensino a formulação de estratégias de aproximação.

O empresário Roberto Melo, pai de Luana, oito anos, revela que graças a encontros com os professores, passou a conversar sobre sexo com a sua filha. ”Ela havia começado a me perguntar de onde os bebês vinham e eu não tinha ideia do que responder. Conversei com minha esposa e entramos em contato com a escola, que nos orientou. Compramos um livro, seguindo a recomendação, e lemos para ela. Tudo foi bastante tranquilo”, relata.

Hora do recreio. / Foto: Jade Giallorenzo

Na Escola Acalento, é por meio da inserção na dinâmica familiar que os educadores pautam o tratamento ideal para o aluno. ”O lar tem ligação direta com o comportamento da criança, inclusive o sexual. Para saber como lidar com cada uma, nós marcamos visitas às casas para observar o movimento deste núcleo”, conclui a diretora Von Hauenschild.

Na Experimental, dinâmicas instrutivas são realizadas de acordo com as demandas. ”Nós produzimos palestras com temáticas sexuais sobre assuntos específicos que as famílias escolhem para debater”, afirma a diretora Almeida. A escola é um importante espaço de aprendizado e interação, devendo, para sua efetividade, ser articulada ao principal agente na formação da sexualidade da criança: a família. Tal influência pode ser facilmente não percebida, ignorada ou até mesmo desconhecida.

Para Lorena Pimenta, a memória de cada adulto, a sua ‘criança interna’ reverbera na criança que está sendo educada. ”Quando vêm ao consultório, sinto a necessidade de desconstruir estigmas sexuais sob os quais os pais foram educados. Família e escola precisam estar atentos aos seus próprios comportamentos e agir de maneira articulada”, conclui a psicóloga.

As quatro fases da sexualidade infantil, segundo Freud. / Infográfico: Lorena Morgana/ID126

 

Leia mais

Brincadeira de criança?

Especial

Guerra da Água

No cerrado baiano, o agronegócio impacta a sobrevivência das comunidades tradicionais. A reportagem em áudio conta como a população de Correntina, no oeste da Bahia, tem sofrido ameaças e resistido à disputa por água em seu te Dê play e saiba mais sobre essa história. Material produzido a partir da proposta de pauta vencedora da […]

Leonardo Lima e Luísa Carvalho - 13 de dezembro de 2021

Editorial

Investigação participativa: reportagens que colocam o leitor no centro da história

Profa. Lívia Vieira As 13 reportagens multimídia feitas pela turma de Oficina de Jornalismo Digital em 2021.2 tiveram como base o conceito de investigação participativa. O termo, que em inglês é conhecido como engagement reporting, foi discutido em uma aula especial que tivemos com Giulia Afiune, editora de Audiências da Agência Pública. Na ocasião, Giulia […]

Profa. Lívia Vieira - 2 de dezembro de 2021


Racismo religioso

Salvador ainda é um ambiente inseguro para os praticantes de religiões afro

Dentro de casa ou no trabalho, praticantes de religiões de matrizes africanas relatam dificuldades na tentativa de exercer seu direito ao culto religioso. Expressões depreciativas, ataques a terreiros, xingamentos e até agressões. É assim que o racismo religioso se traveste de “opinião” em diversas partes do Brasil – incluindo Salvador, – uma das cidades mais […]

Josivan Vieira e Gabriele Santana - 1 de dezembro de 2021

Meio Ambiente

Salvador, primeira cidade planejada do Brasil, sofre com falta de infraestrutura

Habitantes de Salvador relatam problemas dos bairros onde vivem e denunciam falta de assistência do poder público. Os moradores de Salvador têm orgulho de dizer que vivem na primeira capital do Brasil. De propagandas até conversas em mesa de bar, soteropolitanos e pessoas que adotaram a cidade do axé e do dendê se gabam de […]

Brenda Roberta, Inara Almeida e Maysa Polcri - 1 de dezembro de 2021

Direito ao transporte

Assaltos a ônibus assustam população de Salvador

Cidadãos que dependem do transporte público relatam a experiência de insegurança cotidiana, embora Secretaria de Segurança Pública afirme que houve redução no número de assaltos a ônibus. Por Gilberto Barbosa, Leonardo Oliveira e Cesar Oliveira Os assaltos a ônibus são uma constante e assustam a população de Salvador que depende do transporte público para seguir […]

Gilberto Barbosa, Leonardo Oliveira e Cesar O. - 1 de dezembro de 2021

Direito à Cultura

Consumo de livros digitais aumenta e obras físicas têm baixa durante pandemia de Covid-19

Especialistas explicam que pandemia impulsionou mudança em formato de leitura. Por Adele Robichez, Felipe Aguiar, Nathália Amorim, Vinícius Harfush Um levantamento realizado pela reportagem em Salvador indicou que as pessoas passaram a consumir mais livros no formato digital durante a pandemia de covid-19. Segundo a pesquisa, que selecionou 68 moradores da capital para responder perguntas […]

Adele R, Felipe A, Nathália A, Vinícius H - 1 de dezembro de 2021

Economia criativa

Os desafios de viver de arte durante a pandemia

Assim como nós humanos, a economia foi imensamente impactada pelo distanciamento social, mas, felizmente, uma possível vacina para curar o problema já existe, e se chama criatividade. Não é exagero afirmar que nenhum brasileiro e nenhuma brasileira escapou ileso dos diversos e inesperados desafios vividos nos anos de 2020 e 2021. E eles têm um […]

Paulo Marques - 1 de dezembro de 2021

Direito à religião

Comunidades de matriz africana lutam por prática religiosa em espaços públicos de Salvador

Intervenções em locais comunitários preocupam terreiros que dependem da vegetação natural para exercer cultos Por Geovana Oliveira, Luana Lisboa, Victor Hugo Meneses e João Marcelo Bispo Até hoje, a vodunsi Mãe Cacau se emociona ao falar sobre o início das obras para a Estação Elevatória de Esgoto na Lagoa do Abaeté. Quando as máquinas chegaram […]

Geovana, Luana, Victor Hugo e João Marcelo - 1 de dezembro de 2021

Ordem de despejo

O caso da comunidade do Tororó, em Salvador, e a violação do direito à moradia

Moradores recebem ordem de despejo da localidade que está sendo especulada para construção de um estacionamento de um novo Shopping Center “Como os moradores são quase todos do mercado informal, a prefeitura ligava para eles e oferecia dinheiro. Como estavam todos sem dinheiro, começaram a negociar com a prefeitura. Nisso, com quem já tinha negociado, […]

Álene Rios, Júlia Lobo e Thainara Oliveira - 1 de dezembro de 2021

Cinema de rua

Histórias de quem viveu o cinema de rua de Salvador

Entenda o que aconteceu entre a época de ouro do cinema de rua e a expansão das grandes redes Tomar um café enquanto espera o horário do filme, entrar numa sala de cinema pequena, com menos de 100 lugares, para assistir a uma produção nacional. Esse ritual, muito comum até a década de 1990, é […]

Carol Cerqueira, Catarina Carvalho e Maria Andrade - 1 de dezembro de 2021

Direito à mobilidade

Pessoas com deficiência denunciam falta de acesso ao transporte de Salvador

Falta de fiscalização afeta funcionamento de elevadores em coletivos. Gabrielle Medrado, Gustavo Arcoverde, Marcela Villar e Rafaela Dultra Cadeirante desde 2014 após uma tentativa de assalto, o baiano Luan Veloso, 32, é paracanoísta profissional e terceiro colocado no ranking dos melhores do Brasil na maratona de sua categoria, a KL1, na qual atletas utilizam como […]

Gabrielle Medrado,Gustavo Arcoverde,Marcela Villar - 1 de dezembro de 2021

RAP em Salvador

O ritmo não para: batalhas de rima movimentam a cultura nas comunidades

Batalhas de rap voltam a acontecer em Salvador após suspensão causada pela pandemia de Covid-19 Após quase um ano e meio da pandemia de Covid-19, o setor artístico e cultural soteropolitano começou a tomar fôlego com a última fase de retomada das atividades econômicas, decretada pela prefeitura da capital baiana no dia 9 de julho […]

Danielle Campos, Kamille Martinho, Renata Falcone - 1 de dezembro de 2021

Direito à Segurânça

Não vá que é barril: A violência contra motoristas de aplicativo em Salvador

“Foi quando ele pegou a arma e apontou na minha cara, aí foi complicado”. Estamos na rua Candinho Fernandes, Fazenda Grande do Retiro, Salvador. São 8h30 da noite do dia 23 de dezembro de 2019, perto da véspera de Natal. Anselmo Cerqueira, que é motorista por aplicativo, está com o carro estacionado. Dois homens se […]

Adriano Motta, Lula Bonfim e Victor Lucca Ferreira - 1 de dezembro de 2021

Gerar problemas não é saudável

Consumidores relatam transtornos e dificuldades com planos de saúde

Mensalidades  subiram  quase 50% este ano, conforme aponta um levantamento divulgado pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) Por Andressa Franco, Everton Ruan e Laisa Gama No dia 25 de Março, Maria*, grávida de cinco meses, precisou ser encaminhada às pressas para o Hospital Santo Amaro. Ao chegar lá, precisou realizar uma cesária de […]

Andressa Franco, Everton Ruan e Laisa Gama - 1 de dezembro de 2021