Tags:, , ,

Máquinas reunidas

- 22 de outubro de 2014

Mário Pinho

Chama a atenção nas ruas carros colados ao chão, com gigantescas rodas, faróis super luminosos e som extravagante. São os chamados “modificados”, segmentos de veículos que perdem suas configurações de fábrica em nome da esportividade e da preferência dos seus donos.

Muito além de investir em seus carros, os viciados em modificados se organizam em grupos e realizam encontros periódicos nos quais expõem os seus veículos. Os grupos são divididos entre os clubes e as equipes, que se diferem exclusivamente por questões de padronização. Os clubes geralmente reúnem veículos do mesmo modelo e montadora, como o Clube do Opala, Corsa Clube e Clube do Fusca. Lá os carros não precisam ser necessariamente modificados. A paixão está no modelo do veículo.

A equipe Brothers presente em um dos encontros

Já as equipes são geralmente formadas por regiões geográficas ou afinidade e reúnem carros nitidamente modificados. Marcos Souza é líder da equipe dos Brothers. Ele conta que o grupo foi criado antes mesmo dele ter um carro. “Eu já era fixado em carros rebaixados. Via uma roda diferente na rua e meus olhos já brilhavam. Foi daí que juntei alguns amigos do meu bairro e formamos a nossa equipe. Com o tempo todos foram comprando seus carros e modificando. Hoje já somos sete”, relata, orgulhoso do seu Gol G5. Em Salvador, existem cerca de 10 equipes, estando entre as principais: Família 69, Atitude, Clandestinos e Escuderia 071.

Leia mais
Um vício que custa caro
Modificar é permitido, veja como fazer 

A história de Marcos é semelhante a de Thiago Dantas, principal organizador dos encontros. Ele revela que não possuía um carro quando organizou o primeiro evento, aos 20 anos de idade. “Foi engraçado ver todos chegando e perguntando onde estava a minha máquina”. Hoje com 26 anos e com o seu sexto carro – todos modificados -, orgulha-se ao ver cada novo veículo estacionando durante os encontros. “Eu me lembro de quando era criança e ficava da janela com olhos fechados ouvindo o barulho dos carros e adivinhando quais eram. O prazer que eu sinto organizando isso aqui não tem preço”, desabafa.

Thiago é gestor da página Salvador Street Cars, a mais curtida do segmento no Facebook. Por lá ele divulga as datas dos encontros e expõe fotos de alguns carros, memes e outras publicações referentes ao assunto. Segundo ele, o evento nunca enfrentou problemas com a polícia e a Transalvador. “Não estamos fazendo nada de errado. Meu objetivo é que a galera se encontre, mostrem seus carros, troquem informações e façam amizades. Sempre alerto a todos quanto ao som e as manobras perigosas que um ou outro costuma fazer. Não somos bagunceiros, somos apaixonados”, explica.

Além de encontros, as equipes também participam de carreatas e promovem ações beneficentes. Algumas delas cobram mensalidades que são revertidas em adesivos de identificadão, camisetas e materiais para sorteios. Os eventos acontecem periodicamente em diferentes locais de Salvador e são divulgados através das páginas das redes sociais dos organizadores.

O encontro da Salvador Street Cars, organizado por Thiago, foi pauta do programa Carros Mais. Acompanhe a matéria através do vídeo abaixo, no trecho entre 0:50 e 4:25.