Tags:, , , ,

Literatura de cordel influencia aspectos constitutivos do Nordeste

- 6 de julho de 2014

Thalita Lima e Jéssica Nascimento

O Nordeste é o melhor lugar para se contar as histórias. Na região, encontramos as lavadeiras do rio que levam as bacias de roupa na cabeça, a rezadeira da novena de Santo Antônio, as famílias clamando ao céu uma nuvem carregada de chuva, o repentista com viola na mão, o sertanejo e as rodas para dançar baião. O cordel reúne esses causos rimados em versos e impressos num folheto preto e branco.

A literatura de cordel chegou no Brasil na época dos portugueses. Por muito tempo, no século XIX, foi considerada como “literatura menor”. Mas essa linguagem se espalhou e encontrou seus maiores poetas no Nordeste, como Patativa do Assaré (CE), Manoel Monteiro (PB), Bule Bule (BA), Mestre Azulão (PB), Cego Aderaldo (CE), entre outros.

Leia mais
Peleja do cordel continua pelas capitais nordestinas
Cordel influencia artistas de outras linguagens

O pesquisador brasileiro de cordel, Marco Haurélio, explica que a inclusão de histórias do universo nordestino foi o que caracterizou a literatura como dessa região. “O fato mais importante para a definição de uma poética popular nordestina (e, consequentemente, brasileira) é a inclusão da gesta do gado e da gesta cangaceira entre os temas principais”, ressalta.

Na Bahia, um dos nomes mais expressivos do cordel é Antônio Ribeiro da Conceição, ou simplesmente Bule Bule. Poeta há 46 anos, ele diz que os folhetos de cordel mais duradouros são aqueles que falam de assuntos e figuras que o nordestino se identifica. “Para o homem do sertão, interessa Lampião, o vaqueiro, padre Cícero, frei Damião, Irmã Dulce, coisas que ele sabe da existência e do valor”, diz.

Sou poeta das brenha, não faço o papé
De argum menestrê, ou errante cantô
Que veve vagando, com sua viola
Cantando, pachola, à percura de amô

Não tenho sabença, pois nunca estudei
Apenas eu seio o meu nome assiná
Meu pai, coitadinho! Vivia sem cobre
E o fio de pobre não pode estudá

Meu verso rastero, singelo e sem graça
Não entra na praça, no rico salão
Meu verso só entra no campo e na roça
Nas pobre paioça, da serra ao sertão

Poeta da roça, de Patativa do Assaré, maior poeta popular do Ceará

Além dos enredos sobre o contexto do campo, como contado no trecho dessa obra de Patativa do Assaré, alguns cordelistas apostam em assuntos mais complexos e atuais. Marxismo e capitalismo, a filosofia do Mito da Caverna, Nelson Mandela e a luta pelo apartheid, biografias de figuras ilustres da história e até as manifestações de junho no Brasil foram tema para os versos de Medeiros Braga, cordelista da Paraíba.

Porém, a grande surpresa
Surgia mais varonil
Jovens foram para as ruas
Em um ambiente hostil
Levantando, alvissareiro,
O seu grito de guerreiro
Para mudar o Brasil
[…]
Havia na multidão,
Que ao poder assombrou,
Um cartaz que afirmava
Que “O Gigante Acordou!”
Dizia um outro, sem truque:
“Saímos do Facebook!”…
E a marcha confirmou.

 As manifestações de junho – vinte centavos que mudaram o Brasil, de Medeiros Braga (PB)

Com um stand durante um evento na Universidade Federal da Paraíba, o poeta mostrou que o cordel pode tratar de temas contemporâneos e ficar atento aos fatos históricos e às mudanças sociais. “O mundo está destroçado e não há outra força de consertá-lo, senão através da educação política do povo”, diz o poeta paraibano, para justificar a escolha de temas atuais nos cordéis.

O cordel foi  fundamental para a formação de um público leitor numa época em que a educação formal não chegava aos grotões”, afirma o pesquisador de cordel Marco Haurélio

Para Medeiros, a diversidade temática acompanha as mudanças sociais. “A onça no pé da serra deu lugar à universidade que bem pertinho chegou; o matuto lá em cima foi substituído, por um homem novo, mais desengonçado, mais falante, mais conhecedor das coisas. Em cima da serra hoje se encontra o jovem que à tardinha pega o transporte escolar e vai assistir aula nos mais diversos graus de ensino. Por conta disso mudou também o cordelista”.

Além dos cordelistas e poetas populares da terra, outros nomes conhecidos da literatura no Brasil foram influenciados por esse estilo: José Lins do Rego, Dias Gomes, Guimarães Rosa, João Cabral de Melo Neto, Rachel de Queirós, Ferreira Gullar, Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira, Cecília Meireles e Ariano Suassuna.

Para o pesquisador Marco Haurélio, o cordel contribui não só para marcar uma literatura regional, mas provocou efeitos culturais, sociais e políticos. “O cordel, principalmente em seus primeiros anos, foi de fundamental importância para a formação de um público leitor numa época em que a educação formal não chegava aos grotões”, diz.

Matemática do cordel – Aquela ideia de poesia como pura construção de versos rimados não cabe ao cordel. Há muita matemática: tem a quadra (estrofe de quatro versos), sextilha (seis versos), septilha (sete versos), martelo (estrofes formadas por decassílabos), quadrão (os três primeiros versos rimam entre si, o quarto com o oitavo e o quinto, o sexto e o sétimo também entre si), entre outros.

“A estrofe básica do cordel é a sextilha setissilábica. Depois vem a septilha e, em escala bem menor, as décimas de sete e dez sílabas”, explica Haurélio. Ele acredita que os bons poetas conseguem se expressar em todos os estilos, mas alguns acabam não dando fluência e terminam a linha com uma preposição ou artigo.

Para Bule Bule, a estética do cordel é baseada muito em quem faz. “A tradição é o tamanho de 12×16 (formato do folheto). Outra coisa básica é que o cordel de 8 páginas, sendo de sextilha, pode chegar até 40 estrofes; sendo de septilhas, normalmente 32 estrofes; sendo de dez versos, você faz 24 estrofes por 8 páginas. E você vai multiplicando o múltiplo de 4. A partir de 32 é romance”, finaliza.

Editorial

Investigação participativa: reportagens que colocam o leitor no centro da história

Profa. Lívia Vieira As 13 reportagens multimídia feitas pela turma de Oficina de Jornalismo Digital em 2021.2 tiveram como base o conceito de investigação participativa. O termo, que em inglês é conhecido como engagement reporting, foi discutido em uma aula especial que tivemos com Giulia Afiune, editora de Audiências da Agência Pública. Na ocasião, Giulia […]

Profa. Lívia Vieira - 2 de dezembro de 2021


Racismo religioso

Salvador ainda é um ambiente inseguro para os praticantes de religiões afro

Dentro de casa ou no trabalho, praticantes de religiões de matrizes africanas relatam dificuldades na tentativa de exercer seu direito ao culto religioso. Expressões depreciativas, ataques a terreiros, xingamentos e até agressões. É assim que o racismo religioso se traveste de “opinião” em diversas partes do Brasil – incluindo Salvador, – uma das cidades mais […]

Josivan Vieira e Gabriele Santana - 1 de dezembro de 2021

Meio Ambiente

Salvador, primeira cidade planejada do Brasil, sofre com falta de infraestrutura

Habitantes de Salvador relatam problemas dos bairros onde vivem e denunciam falta de assistência do poder público. Os moradores de Salvador têm orgulho de dizer que vivem na primeira capital do Brasil. De propagandas até conversas em mesa de bar, soteropolitanos e pessoas que adotaram a cidade do axé e do dendê se gabam de […]

Brenda Roberta, Inara Almeida e Maysa Polcri - 1 de dezembro de 2021

Direito ao transporte

Assaltos a ônibus assustam população de Salvador

Cidadãos que dependem do transporte público relatam a experiência de insegurança cotidiana, embora Secretaria de Segurança Pública afirme que houve redução no número de assaltos a ônibus. Por Gilberto Barbosa, Leonardo Oliveira e Cesar Oliveira Os assaltos a ônibus são uma constante e assustam a população de Salvador que depende do transporte público para seguir […]

Gilberto Barbosa, Leonardo Oliveira e Cesar O. - 1 de dezembro de 2021

Direito à Cultura

Consumo de livros digitais aumenta e obras físicas têm baixa durante pandemia de Covid-19

Especialistas explicam que pandemia impulsionou mudança em formato de leitura. Por Adele Robichez, Felipe Aguiar, Nathália Amorim, Vinícius Harfush Um levantamento realizado pela reportagem em Salvador indicou que as pessoas passaram a consumir mais livros no formato digital durante a pandemia de covid-19. Segundo a pesquisa, que selecionou 68 moradores da capital para responder perguntas […]

Adele R, Felipe A, Nathália A, Vinícius H - 1 de dezembro de 2021

Economia criativa

Os desafios de viver de arte durante a pandemia

Assim como nós humanos, a economia foi imensamente impactada pelo distanciamento social, mas, felizmente, uma possível vacina para curar o problema já existe, e se chama criatividade. Não é exagero afirmar que nenhum brasileiro e nenhuma brasileira escapou ileso dos diversos e inesperados desafios vividos nos anos de 2020 e 2021. E eles têm um […]

Paulo Marques - 1 de dezembro de 2021

Direito à religião

Comunidades de matriz africana lutam por prática religiosa em espaços públicos de Salvador

Intervenções em locais comunitários preocupam terreiros que dependem da vegetação natural para exercer cultos Por Geovana Oliveira, Luana Lisboa, Victor Hugo Meneses e João Marcelo Bispo Até hoje, a vodunsi Mãe Cacau se emociona ao falar sobre o início das obras para a Estação Elevatória de Esgoto na Lagoa do Abaeté. Quando as máquinas chegaram […]

Geovana, Luana, Victor Hugo e João Marcelo - 1 de dezembro de 2021

Ordem de despejo

O caso da comunidade do Tororó, em Salvador, e a violação do direito à moradia

Moradores recebem ordem de despejo da localidade que está sendo especulada para construção de um estacionamento de um novo Shopping Center “Como os moradores são quase todos do mercado informal, a prefeitura ligava para eles e oferecia dinheiro. Como estavam todos sem dinheiro, começaram a negociar com a prefeitura. Nisso, com quem já tinha negociado, […]

Álene Rios, Júlia Lobo e Thainara Oliveira - 1 de dezembro de 2021

Cinema de rua

Histórias de quem viveu o cinema de rua de Salvador

Entenda o que aconteceu entre a época de ouro do cinema de rua e a expansão das grandes redes Tomar um café enquanto espera o horário do filme, entrar numa sala de cinema pequena, com menos de 100 lugares, para assistir a uma produção nacional. Esse ritual, muito comum até a década de 1990, é […]

Carol Cerqueira, Catarina Carvalho e Maria Andrade - 1 de dezembro de 2021

Direito à mobilidade

Pessoas com deficiência denunciam falta de acesso ao transporte de Salvador

Falta de fiscalização afeta funcionamento de elevadores em coletivos. Cadeirante desde 2014 após uma tentativa de assalto, o baiano Luan Veloso, 32, é paracanoísta profissional e terceiro colocado no ranking dos melhores do Brasil na maratona de sua categoria, a KL1, na qual atletas utilizam como força principal os braços. Fora das águas, no entanto, […]

Gabrielle Medrado,Gustavo Arcoverde,Marcela Villar - 1 de dezembro de 2021

RAP em Salvador

O ritmo não para: batalhas de rima movimentam a cultura nas comunidades

Batalhas de rap voltam a acontecer em Salvador após suspensão causada pela pandemia de Covid-19 Após quase um ano e meio da pandemia de Covid-19, o setor artístico e cultural soteropolitano começou a tomar fôlego com a última fase de retomada das atividades econômicas, decretada pela prefeitura da capital baiana no dia 9 de julho […]

Danielle Campos, Kamille Martinho, Renata Falcone - 1 de dezembro de 2021

Direito à Segurança

Não vá que é barril: A violência contra motoristas de aplicativo em Salvador

“Foi quando ele pegou a arma e apontou na minha cara, aí foi complicado”. Estamos na rua Candinho Fernandes, Fazenda Grande do Retiro, Salvador. São 8h30 da noite do dia 23 de dezembro de 2019, perto da véspera de Natal. Anselmo Cerqueira, que é motorista por aplicativo, está com o carro estacionado. Dois homens se […]

Adriano Motta, Lula Bonfim e Victor Lucca Ferreira - 1 de dezembro de 2021

Gerar problemas não é saudável

Consumidores relatam transtornos e dificuldades com planos de saúde

Mensalidades  subiram  quase 50% este ano, conforme aponta um levantamento divulgado pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). Por Andressa Franco, Everton Ruan e Laisa Gama No dia 25 de Março, Maria*, grávida de cinco meses, precisou ser encaminhada às pressas para o Hospital Santo Amaro. Ao chegar lá, precisou realizar uma cesária de […]

Andressa Franco, Everton Ruan e Laisa Gama - 1 de dezembro de 2021