Tags:, , ,

Geração de hoje é “para ontem”

- 4 de fevereiro de 2013

Pedro não sai de casa sem o celular e navega na web pelo tablet | Foto: Hilla Santana

O perigo à criança não está apenas fora de casa. A falta de proteção no ambiente virtual foi o principal motivo para o engajamento do Canal de Ajuda

Darlan Caires e Hilla Santana

Indicadores do Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação no Brasil (CETIC) de 2012, revelaram que 45% de crianças entre 11 e 12 anos trocam mensagens instantâneas por celular diariamente. A mesma pesquisa mostrou que os pais têm dificuldades de determinar o tempo de uso da internet por seus filhos.

 “Sempre tem que ter o controle. Até nós, adultos, quando percebemos, já estamos na frente do computador há horas”, adverte Taciana Torres, professora e mãe de Pedro Paulo (8). O garoto já demonstra interação com o estilo de vida da nova geração. “Eu sou muito chegado à tecnologia. Uso notebook, celular, tablet, GPS”, fala com naturalidade.

Juliana Cunha, psicóloga e coordenadora psicossocial do Help Line no Brasil, um canal de ajuda psicológica online, alerta para a qualidade de uso do meio de comunicação mais acessado. “Se queremos uma internet ética, segura e responsável precisamos educar as crianças e os adolescentes, porque eles serão, e já são, os principais usuários”, acentua.

No tablet, Pedro joga, acessa Youtube e e-mail. O celular é para bate-papo. “É igual a Facebook, só que você escreve e a pessoa responde logo, não tem que esperar”, explica ele, que ainda não está na rede social mais famosa do mundo. Por enquanto, Pedro Paulo brinca no Club Penguin, uma rede social infantil em que o jogador cria seu avatar e simula uma vida virtual. Ele não é o único. O mesmo estudo da CETIC, através da pesquisa TIC Kids Online Brasil, divulgou que 71% das crianças com idades de 11 e 12 anos já tem perfil em redes sociais.

 Acompanhamento – “Ele me via batendo papo e dizia que também queria”, conta Taciana, quem, preocupada com a violência virtual, resistiu para criar o primeiro e-mail do filho. “Já conversamos que a questão é a própria segurança dele”, argumenta.  O fato é ainda enfatizado por Cunha. “Os pais e a escola é que guiam a criança para o uso saudável da internet”, acrescenta.

A professora ressalta o ponto positivo: “quando algum aparelho trava a gente chama e ele resolve”. Além de Pedro Paulo, Ana Clara (3), prima do garoto, também já demonstra aptidão com os aparelhos e entende qual a funcionalidade do touch screen.

Canal de Ajuda – Para acompanhar os novos hábitos da sociedade, um grupo de Psicólogos baianos se uniu para oferecer atendimento online e tentar encurtar a distância e o tempo entre especialista e paciente. Juntos lançaram o Canal de Ajuda, que esclarece e ensina modos seguros de uso da internet para crianças e adolescentes que crescem num contexto social cada vez mais imediato.

Esse canal brasileiro foi inspirado no Child Help Line, criado a partir de políticas públicas da Europa e Estados Unidos, com a pretensão de ser um espaço de voz da criança e do adolescente. O serviço é gratuito, mas a orientação não substitui o tratamento presencial.  “A proposta é ser o primeiro elo de uma corrente de proteção; o elo mais fácil de ser acessado”, explica a coordenadora Juliana. O grupo reconhece que a criança também é um cidadão e merece ter seus direitos respeitados.

Além de crianças, o Help Line também apoia educadores que nem sempre conseguem acompanhar a destreza exigida pelas novas tecnologias e por isso, resistem em fazer uso delas na sala de aula. “Não foi uma geração que cresceu usando esses aparelhos e por isso desconhecem”, lembra a psicóloga.

O canal recebe solicitação de atendimento de todo país. O serviço online e o anonimato facilitam o acesso, mas não são as únicas estratégias. “É fazer da própria ferramenta (a internet) um instrumento e espaço de promoção para o uso seguro dela”, pontua.

Leia mais

Febre virtual, isso pega?

Jejum forçado

FUTEBOL

Afinal, o VAR traz justiça pro brasileirão?

Implementado este ano na competição, recurso ainda causa controvérsias no meio esportivo Por Caio Marco e Victor Fonseca Desde que se tornou popular mundialmente, o futebol sempre foi marcado por polêmicas, especialmente com relação à arbitragem. Pênaltis decisivos não marcados (ou pênaltis mal marcados), gols de mão, impedimentos, dentre outras controvérsias se mantêm na pauta […]

Caio Marco, Victor Fonseca - 13 de novembro de 2019

Desconectados

Status: Desconectado

Em tempos de relações on-line, jovens baianos andam na contramão e defendem que a boa conexão está fora da tela Por Carlos Magno e Thídila Salim Com um misto de funcionalidades, os smartphones se tornaram peças indispensáveis na vida de muita gente por todo o mundo, seja para auxiliar no trabalho ou para puro lazer. […]

Carlos Magno, Thídila Salim - 13 de novembro de 2019

Futebol feminino

A bola está com elas

Beatriz Rosentina, Elias Santana Malê, Ingrid Medina e Larissa Travassos 13 de novembro de 2019 A bola está no campo e quem veio jogar foram elas, as mulheres, que cada vez mais ganham visibilidade a partir das iniciativas para esta modalidade. Com uma história marcada por mais de 40 anos de proibição da prática no Brasil, a […]

Beatriz, Elias, Ingrid, Larissa - 13 de novembro de 2019

Saúde mental

Saúde mental e vida universitária: Seria a universidade um ambiente tóxico?

Foto: Marcelo Camargo Danilo Gois e Iuri Petitinga O sonho de ingressar em uma universidade pública é algo que acompanha quase todos os estudantes de ensino médio no Brasil. Muitos destes alunos não imaginam que a pressão do período pré-vestibular não para após o ingresso em um curso superior e uma parte destes alunos não consegue […]

Danilo Rodrigues e Fernando Iuri Petitinga - 18 de novembro de 2019

Algodão

Crescimento de 17% na safra de Algodão da Bahia assegura o estado como 2º exportador mundial

Região é explorada desde os anos 1980, marcada pela presença de “baiúchos” Ellen Chaves, Fernando Franco, Welldon Peixoto e Pedro Oliveira Foto: Welldon Peixoto O ano de 2019 já aponta 17% de aumento na safra de algodão no cenário baiano, segunda maior cultura da região. O oeste é responsável pela maior parte da produção do […]

Ellen Chaves, Fernando Franco, Welldon Peixoto - 18 de novembro de 2019

Consumo cultural

Popular para quem? Por trás da dinâmica do consumo cultural em Salvador

Apesar de uma vasta programação cultural e artística,  parte da população de Salvador não frequenta esses eventos  Lizandra Santana, Luciano Marins e Luana Gama Salvador é uma cidade que respira cultura. Por quase todos os cantos encontramos espaços culturais com uma programação diversificada, além de festivais realizados ao longo do ano. Ao mesmo tempo, parte […]

Lizandra Santana, Luciano Marins e Luana Gama - 13 de novembro de 2019