Tags:, , , , , , ,

Fórum Social Mundial em Salvador

Maria Quinteiro - 31 de janeiro de 2018

Fique por dentro da programação do evento e de alguns temas que serão abordados

A comunidade da Universidade Federal da Bahia (UFBA) está contando os dias para receber o público do Fórum Social Mundial (FMS), evento que irá acontecer  de e terá a universidade como sede. Além de palestras, debates, oficinas e atividades culturais, o FSM também vai realizar atos pelas cidades, ocupações de espaços públicos, culturais e periferias locais com o objetivo de propor a mobilização de toda população.

O evento começará no dia 13 de março e logo no início da manhã terá uma coletiva de imprensa do Coletivo do FMS 2018 com alguns integrantes do Fórum. No período da tarde vai acontecer a Marcha de Abertura – Resistir é Criar, Resistir é Transformar, com a participação de integrantes do Fórum. Ainda no mesmo dia terá um show e atividades Político-culturais que vão marcar o primeiro dia do Evento.

Para Rita Freire, uma das organizadoras do evento, essa edição do Fórum “poderá surpreender, especialmente pela energia mobilizadora da Bahia, sua história de resistência e protagonismo dos povos e comunidades tradicionais”, comenta. Rita também acredita que será um FSM de reflexão feminista “que nos ajudará a enfrentar o momento de golpes e retrocessos no Brasil e a intervir na conjuntura mundial com olhares menos condicionados pelo discurso neoliberal” relata.

No segundo dia do FMS, vão acontecer algumas atividades de Convergências, Autogestionadas e Político-culturais que pretendem desencadear debates e diálogos entre participantes. As atividades de Convergências vão promover discussões entre diferentes lutas a partir de causas comuns, como intuito de “ampliar a potência das resistências”. De acordo com a programação do evento a ideia é realizar esse debate com organizações e movimentos de diferentes países que defendam lutas ou causas distintas.

Já as atividades autogestionadas vão ter como cenários: oficinas, seminários, conferências, apresentações culturais e rodas de diálogos, sendo um dos intuitos produzir propostas que tenham repercussão pós- FMS. Segundo a organização do evento, essas propostas deverão ser levadas para a Reunião de Relatorias, espaço onde essas ideias serão sistematizadas e encaminhadas para Assembleia Mundial dos Povos, Movimentos e Territórios em Resistências.

Mulheres em Pauta

No dia 16 de março, no período da manhã, vai acontecer a Assembleia Mundial das Mulheres que pretende fortalecer, potencializar e ampliar a visibilidade dos movimentos de mulheres. Nesse período da manhã, não acontecerão outras  atividades no Fórum para que todas as mulheres possam estar presentes e fortalecer o encontro. O Fórum também vai realizar uma oficina com o tema: Mulheres Negras e a Década dos Afrodescendentes, que pretende abordar alguns desafios e estratégias das Mulheres Negras dos países da América Latina, além de discutir a declaração das Organizações das Nações Unidades (ONU)  sobre a Década dos Afrodescentes, que vai de 2015 a 2024,  assim como sua implementação  e objetivos.

Ainda no dia 16, já no período da tarde, terá início o debate com o tema “O papel das Mulheres do Hip-Hop na luta de Resistir é criar, resistir é transformar” que vai terminar somente no dia 17.  Vão estar presentes lideranças dos movimentos sociais, ativistas, artistas, educadoras, militantes do Hip Hop, DJ, Mc entre outros representantes do movimento, o evento irá terminar com intervenções culturais.  No período da tarde haverá debates de lideranças do Hip Hop feminino, com jovens e mulheres que integram projetos sociais, não só de Salvador, como de todo Brasil, e o foco será “O papel das Mulheres Resistir é criar, resistir é transformar”. O ID 126 traz uma reportagem com B.girl Ceia, uma das líderes do Hip Hop feminino que estará no FSM 2018 em Salvador. Confira neste link.

As intervenções culturais vão acontecer na parte da tarde até às 22h, com o DJ Tupak, além de apresentações culturais de Reggae, Groove e Hip-Hop que contará com um microfone aberto para participação do público. Também vai acontecer a apresentação do artista de Reggae Rãs Mateus e Banda, músico e compositor de Salvador, que vai apresentar seu show “Origem de todo ser”.

Economia Solidária

Com a parceria da UNISOL, Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários do Brasil, da ABRASME, Associação Brasileira de Saúde Mental juntamente com a Rede de Saúde Mental e Economia Solidária do Estado de São Paulo, o FMS vai proporcionar uma palestra sobre o tema “Cooperativismo e Associativismo Social transformando vidas”, que tem como uma das propostas incentivar o trabalho solidário, sustento econômico e a inclusão social de diversos públicos.

O tema aborda a inclusão social através do trabalho para pessoas que vivem  diferentes tipos de situações, como portadoras de transtornos mentais, com necessidades decorrentes do uso de álcool e outras drogas, pessoas privadas de liberdade, em cumprimento de penas e medidas alternativas, ou egressas do Sistema Prisional; pessoas com deficiência; jovens que estejam em situação de vulnerabilidade juvenil; população em situação de rua e que fazem coleta, seleção e processamento de material reciclável.

O Fórum também vai proporcionar um curso direcionando para Educadoras (es), Produtoras (es), Estudantes, Artistas, Instituições e Movimentos Popular, Social e Ambiental – é a Formação em Economia Solidária na Cultura e Educação. O início será no dia 14 de março e pretende abordar diferentes temas como industrialização da cultura no Brasil e no mundo, o processo político industrial brasileiro, financiamento do ativismo social – aspectos dos movimentos sociais e os desafios e trajetórias da mulher preta na economia solidária e social, os princípios jurídicos das relações internacionais do Brasil entre outros temas diferentes.

Algumas atividades do FSM

Um dos temas que o Fórum trará  para debates é o acesso à informação pública como instrumento de controle das políticas públicas, O objetivo é  abordar essas informações nos tratados internacionais e na constituição brasileira, para instruir os participantes em relação a utilidade dessas informações como ferramenta de controle das políticas públicas, especificamente na utilização do Serviço de Informação do Cidadão (SIC)

Vai acontecer também o Seminário Tecnologia Social: Sistema de Acesso à Água Pluvial Multiuso para Consumo das Comunidades Extrativistas – SANEAR AMAZÔNIA, que consiste na captação de água da chuva e sistema complementar (água do rio ou poço artesiano) com tratamento de água.

Outros eventos importantes que vão acontecer são a Assembléia Mundial dos Povos, Movimentos e Territórios em Resistências e um Ato Político-cultural Rumo ao FAMA que busca potencializar a incidência do Fórum Alternativo Mundial da Água que será realizado em Brasília logo depois do FSM. O encerramento simbólico do FSM 2018 vai ser com um Cortejo Cultural, com uma caminhada repleta de manifestações culturais de todo mundo.

No dia 16 vai acontecer a Oficina de Teatro do Oprimido, uma poética idealizada na década de 60 por Augusto Pinto Boal que propõe um trabalho de arte com aspectos políticos e sociais, visando uma reflexão sobre opressões levantadas por seus participantes. Na oficina vão acontecer jogos e exercícios da poética, buscando desenvolver expressões corporais. Segundo organização do evento, as técnicas do Teatro Imagem e Teatro Fórum serão os mecanismos cênicos.

No turno da manhã acontecerá um trabalho de alongamento corporal, seguido de um aquecimento através de jogos e exercícios da Poética do Oprimido, finalizando com a exposição sobre a biografia de Augusto Boal. No período da tarde, vai acontecer uma dinâmica em grupo com relatos de possíveis opressões vivenciadas pelos participantes com um desfecho de uma apresentação relâmpago dos integrantes da oficina.

Para maiores informações e fazer a sua inscrição é só acessar o site do evento https://wsf2018.org/ ou a página do facebook FMS 2018

 

  • Todas as informações foram retiradas do https://wsf2018.org/