Tags:, ,

Do campo aos travesseiros

- 4 de maio de 2016

PERFIL Sem andar ou falar, ex-jogador do Flamengo Mário Filipe Pedreira, o Onça, sofre há 13 anos com Mal de Alzheimer e vive hoje aos cuidados da família

Debora Rezende | Foto destaque: Debora Rezende

As pernas que outrora corriam pelos gramados do Brasil hoje repousam em lençóis brancos. Não andam mais. A voz que protestou contra juízes de futebol e nomeou escalações de times está silenciada. Aos 72 anos de idade, Mário Filipe Pedreira, o Onça, já não sabe mais quem é.

No fim da década de 1960, era jogador do carioca Flamengo, onde permaneceu por quatro anos e atuou em 164 jogos. Com a camisa do rubro-negro, Onça fez sete gols. Durão, atuava como zagueiro. Ao longo da carreira, vestiu a camisa de clubes como o Bahia, Fluminense de Feira e Sport (PE).  Há 13 anos, no entanto, sua situação mudou. Fora dos campos e estádios, o baiano passa os dias deitado em uma cama na casa de uma das filhas, com a rotina fortemente abalada pelo Mal de Alzheimer.

Em pé, da esquerda para a direita João Carlos, Sidnei, Brito, Onça e Limiinha. Agachados Zanata 3 e Nei Oliveira 4, no Flamengo, em 1968. | Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

A doença deu os primeiros sinais quando ele já tinha pendurado as chuteiras. Na época com 60 anos, atuava como técnico em clubes do interior da Bahia. “A vida toda ele jogou bola”, conta a assistente social Carla Muiños, 45, filha do primeiro casamento do ex-atleta. “Meu pai sempre foi muito profissional”. Natural de Santaluz, cidade a pouco mais de 250 quilômetros de Salvador, era no interior que ele morava e trabalhava. Estava casado pela terceira vez e tinha uma filha pequena.

A confusão em atividades corriqueiras do trabalho foi um dos primeiros sinais que a família teve de que as coisas não estavam como deveriam. “Começou a ter um comportamento estranho”, explica a filha e cuidadora de Pedreira. No trabalho e em casa, o pai dava indícios de confusão mental. Fazia escalações estranhas nos times que treinava. Saia com o carro e voltava sem. Passou a juntar lixo.

“Era muito difícil, ele ainda era dono de si”, conta Carla. Onça, apelido que ganhou ainda na época da escola e que o acompanhou na trajetória esportiva, negava que estivesse perdendo a memória.

Ficou sem trabalho. Não teve como sustentar a família. A esposa, mais jovem do que Onça, voltou com a filha pequena para a casa dos pais. “Entrou em um processo difícil de morar só. A gente começou a tentar trazer ele para cá”, diz Carla, que mora com o marido e os filhos em Camaçari, Região Metropolitana de Salvador. Acostumado com a independência, Onça resistia às tentativas da família de tirá-lo de Santaluz. Fugia, pedia para voltar. Ao passo em que o Alzheimer progredia, a situação do ex-atleta piorava.

“Ele começou com essa coisa de cultuar o corpo”, lembra a filha. Em 2008, depois de muita exposição ao sol em busca de um belo bronzeado, Onça desenvolveu um câncer de pele no braço. Para ele, não passava de uma ferida causada por uma vacina. Tirá-lo do interior para cuidar propriamente da doença não foi simples. “Para conseguir segurar ele aqui foi muito difícil”, conta Carla sobre a recuperação do pai após a retirada do câncer finalmente acontecer.

Onça e seus cuidadores: sua filha Carla e seu genro. | Foto: Debora Rezende

Complicações no quadro

Em 2010, a família percebeu que já não era mais possível que o ex-jogador continuasse a morar sozinho no interior. “Inicialmente, ele foi para uma casa de idosos, porque é muito difícil para a gente lidar com essa situação”. O lar, em Brotas, tomou conta de Onça por dois meses. Na época, a família pagava R$ 950 de mensalidade. Mas a ideia de deixar o pai aos cuidados de outros não agradava a Carla. “Uma vez eu cheguei lá e ele estava com oito roupas”, relembra.

Trazer o pai definitivamente para casa fez com que a filha precisasse modificar tanto a rotina quanto a própria casa. “A carga maior é para mim”, afirma a cuidadora, que não recebe muita ajuda por parte dos seis irmãos. “Você tem que abrir mão de muitas coisas quando acontece uma situação dessas. É um ser humano que precisa de ajuda, que está totalmente dependente de alguém”.

Pouco depois de chegar na casa da filha, Onça precisou fazer uma cirurgia de vesícula. Ficou no Hospital Português, na Barra, onde pegou uma infecção hospitalar. “Eu pensei que ele não fosse mais voltar para casa”, diz Carla. A complicação fez com que o ex-jogador ficasse 52 dias em coma. “Os médicos deram um diagnóstico de que ele não ia resistir”, ressalta David Félix, 58, genro de Onça. Ao todo, foram 68 dias de internação. Quando voltou para casa, o quadro do idoso ficou mais severo.

Aos poucos, parou de falar. Parou de andar. Repousa, há seis anos, em uma cama no primeiro andar da casa, monitorado por uma babá eletrônica. Todos os dias, recebe o cuidado de uma enfermeira contratada pela família. Nos finais de semana, a filha e o genro cuidam de cada detalhe da sua rotina.

Com as mãos atrofiadas, ele depende da família para colocá-lo na cadeira de banho. Usa quase um pacote de fraldas geriátricas por dia. Vez ou outra, solta um grunhido. Água e comida, batida no liquidificador, são reguladas por horário. No quarto iluminado, em tons de bege, passa seus dias assistindo ao canal de esportes, ao mesmo tempo em que morde a língua – mania que mantém, apesar do avançado estágio de Mal de Alzheimer, desde os tempos de jogador de futebol.

“Até hoje ainda existe muita pesquisa, mas não uma explicação”, lamenta Carla. Aceitar a doença do pai foi desgastante. Muito ligada à figura paterna, a assistente social, que nasceu no Rio de Janeiro quando Onça integrava o elenco do Flamengo, passou por um início de depressão. “O estado terminal do Alzheimer é voltar a ser feto”, opina.

Poucas pessoas ainda o procuram. Na cabeceira da cama, uma foto emoldurada de um de seus encontros com Pelé. Ao lado das fraldas, o acompanha um pedaço da antiga Fonte Nova, mandado para ele na época da implosão.

Pedaço da antiga Fonte Nova, implodida em 2010. | Foto Debora Rezende

Leia aqui o que a psicóloga Suzana Graziela tem a dizer sobre o Mal de Alzheimer.

Especial

Guerra da Água

No cerrado baiano, o agronegócio impacta a sobrevivência das comunidades tradicionais. A reportagem em áudio conta como a população de Correntina, no oeste da Bahia, tem sofrido ameaças e resistido à disputa por água em seu te Dê play e saiba mais sobre essa história. Material produzido a partir da proposta de pauta vencedora da […]

Leonardo Lima e Luísa Carvalho - 13 de dezembro de 2021

Editorial

Investigação participativa: reportagens que colocam o leitor no centro da história

Profa. Lívia Vieira As 13 reportagens multimídia feitas pela turma de Oficina de Jornalismo Digital em 2021.2 tiveram como base o conceito de investigação participativa. O termo, que em inglês é conhecido como engagement reporting, foi discutido em uma aula especial que tivemos com Giulia Afiune, editora de Audiências da Agência Pública. Na ocasião, Giulia […]

Profa. Lívia Vieira - 2 de dezembro de 2021


Racismo religioso

Salvador ainda é um ambiente inseguro para os praticantes de religiões afro

Dentro de casa ou no trabalho, praticantes de religiões de matrizes africanas relatam dificuldades na tentativa de exercer seu direito ao culto religioso. Expressões depreciativas, ataques a terreiros, xingamentos e até agressões. É assim que o racismo religioso se traveste de “opinião” em diversas partes do Brasil – incluindo Salvador, – uma das cidades mais […]

Josivan Vieira e Gabriele Santana - 1 de dezembro de 2021

Meio Ambiente

Salvador, primeira cidade planejada do Brasil, sofre com falta de infraestrutura

Habitantes de Salvador relatam problemas dos bairros onde vivem e denunciam falta de assistência do poder público. Os moradores de Salvador têm orgulho de dizer que vivem na primeira capital do Brasil. De propagandas até conversas em mesa de bar, soteropolitanos e pessoas que adotaram a cidade do axé e do dendê se gabam de […]

Brenda Roberta, Inara Almeida e Maysa Polcri - 1 de dezembro de 2021

Direito ao transporte

Assaltos a ônibus assustam população de Salvador

Cidadãos que dependem do transporte público relatam a experiência de insegurança cotidiana, embora Secretaria de Segurança Pública afirme que houve redução no número de assaltos a ônibus. Por Gilberto Barbosa, Leonardo Oliveira e Cesar Oliveira Os assaltos a ônibus são uma constante e assustam a população de Salvador que depende do transporte público para seguir […]

Gilberto Barbosa, Leonardo Oliveira e Cesar O. - 1 de dezembro de 2021

Direito à Cultura

Consumo de livros digitais aumenta e obras físicas têm baixa durante pandemia de Covid-19

Especialistas explicam que pandemia impulsionou mudança em formato de leitura. Por Adele Robichez, Felipe Aguiar, Nathália Amorim, Vinícius Harfush Um levantamento realizado pela reportagem em Salvador indicou que as pessoas passaram a consumir mais livros no formato digital durante a pandemia de covid-19. Segundo a pesquisa, que selecionou 68 moradores da capital para responder perguntas […]

Adele R, Felipe A, Nathália A, Vinícius H - 1 de dezembro de 2021

Economia criativa

Os desafios de viver de arte durante a pandemia

Assim como nós humanos, a economia foi imensamente impactada pelo distanciamento social, mas, felizmente, uma possível vacina para curar o problema já existe, e se chama criatividade. Não é exagero afirmar que nenhum brasileiro e nenhuma brasileira escapou ileso dos diversos e inesperados desafios vividos nos anos de 2020 e 2021. E eles têm um […]

Paulo Marques - 1 de dezembro de 2021

Direito à religião

Comunidades de matriz africana lutam por prática religiosa em espaços públicos de Salvador

Intervenções em locais comunitários preocupam terreiros que dependem da vegetação natural para exercer cultos Por Geovana Oliveira, Luana Lisboa, Victor Hugo Meneses e João Marcelo Bispo Até hoje, a vodunsi Mãe Cacau se emociona ao falar sobre o início das obras para a Estação Elevatória de Esgoto na Lagoa do Abaeté. Quando as máquinas chegaram […]

Geovana, Luana, Victor Hugo e João Marcelo - 1 de dezembro de 2021

Ordem de despejo

O caso da comunidade do Tororó, em Salvador, e a violação do direito à moradia

Moradores recebem ordem de despejo da localidade que está sendo especulada para construção de um estacionamento de um novo Shopping Center “Como os moradores são quase todos do mercado informal, a prefeitura ligava para eles e oferecia dinheiro. Como estavam todos sem dinheiro, começaram a negociar com a prefeitura. Nisso, com quem já tinha negociado, […]

Álene Rios, Júlia Lobo e Thainara Oliveira - 1 de dezembro de 2021

Cinema de rua

Histórias de quem viveu o cinema de rua de Salvador

Entenda o que aconteceu entre a época de ouro do cinema de rua e a expansão das grandes redes Tomar um café enquanto espera o horário do filme, entrar numa sala de cinema pequena, com menos de 100 lugares, para assistir a uma produção nacional. Esse ritual, muito comum até a década de 1990, é […]

Carol Cerqueira, Catarina Carvalho e Maria Andrade - 1 de dezembro de 2021

Direito à mobilidade

Pessoas com deficiência denunciam falta de acesso ao transporte de Salvador

Falta de fiscalização afeta funcionamento de elevadores em coletivos. Gabrielle Medrado, Gustavo Arcoverde, Marcela Villar e Rafaela Dultra Cadeirante desde 2014 após uma tentativa de assalto, o baiano Luan Veloso, 32, é paracanoísta profissional e terceiro colocado no ranking dos melhores do Brasil na maratona de sua categoria, a KL1, na qual atletas utilizam como […]

Gabrielle Medrado,Gustavo Arcoverde,Marcela Villar - 1 de dezembro de 2021

RAP em Salvador

O ritmo não para: batalhas de rima movimentam a cultura nas comunidades

Batalhas de rap voltam a acontecer em Salvador após suspensão causada pela pandemia de Covid-19 Após quase um ano e meio da pandemia de Covid-19, o setor artístico e cultural soteropolitano começou a tomar fôlego com a última fase de retomada das atividades econômicas, decretada pela prefeitura da capital baiana no dia 9 de julho […]

Danielle Campos, Kamille Martinho, Renata Falcone - 1 de dezembro de 2021

Direito à Segurânça

Não vá que é barril: A violência contra motoristas de aplicativo em Salvador

“Foi quando ele pegou a arma e apontou na minha cara, aí foi complicado”. Estamos na rua Candinho Fernandes, Fazenda Grande do Retiro, Salvador. São 8h30 da noite do dia 23 de dezembro de 2019, perto da véspera de Natal. Anselmo Cerqueira, que é motorista por aplicativo, está com o carro estacionado. Dois homens se […]

Adriano Motta, Lula Bonfim e Victor Lucca Ferreira - 1 de dezembro de 2021

Gerar problemas não é saudável

Consumidores relatam transtornos e dificuldades com planos de saúde

Mensalidades  subiram  quase 50% este ano, conforme aponta um levantamento divulgado pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) Por Andressa Franco, Everton Ruan e Laisa Gama No dia 25 de Março, Maria*, grávida de cinco meses, precisou ser encaminhada às pressas para o Hospital Santo Amaro. Ao chegar lá, precisou realizar uma cesária de […]

Andressa Franco, Everton Ruan e Laisa Gama - 1 de dezembro de 2021