Tags:, , , ,

Deuses impõem regras para a alimentação de quem os segue

- 14 de setembro de 2016

Religiões têm lista de alimentos que se devem consumir como também daqueles que são proibidos

Camila Fiuza, Thyza Ferreira e Victoria Goulart. Foto destaque: Victoria Goulart

Comer não se restringe à absorção de nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo. Mais do que isso, os alimentos podem conter os mais diversos significados e até ser proibidos por questões de fé. Em religiões como a Hare krishna e o  Judaísmo, os alimentos estão intimamente relacionados à prática religiosa.

Segundo o presidente da ISKCON Bahia, Aniruddha Dasa, a cultura védica parte de quatro princípios básicos: a pureza, a austeridade, a veracidade e a misericórdia. São justamente estes os motivos pelos quais os membros da ISKCON não comem carne nem ovos, uma vez que integram o grupo de alimentos que geram violência ao animal. De acordo com Nilda Natagi, devota de Krishna há 40 anos, o consumo de leite é permitido devido ao credo de que Hare Krishna viveu como vaqueiro no seu período de encarnação humana.

Cerimônia na sede da ISKON Bahia inclui partilha de refeição | Foto: Camila Fiuza

Mesa sagrada

Não é surpreendente que o Hare Krishna,  chamado de “A Religião da Culinária”, seja o movimento que sempre combina filosofia com comida. Na sede da ISKON Bahia, localizada em  Cassange, no limite da capital baiana com o município de Lauro de Freitas, os ritos incluem consumo de alimentos.

Mesmo quem não segue essa filosofia, dificilmente rejeita a comida. É o caso da empreendedora Tainá Albuquerque, que diz não ser adepta ao movimento, mas participa de quase todos os eventos do grupo. Sua mãe, Mandarachala, é vice-presidente. A jovem conta que o que a atrai ao centro, aos domingos, são os quitutes que, vez ou outra, ela mesma prepara.

Durante as celebrações da Sociedade, os alimentos também são utilizados com outro objetivo: o da purificação. É o que acontece durante o Agni-hotra, cerimônia do fogo, na qual o presidente do grupo entoa cânticos enquanto os demais seguidores de Krishna arremessam seus grãos nas chamas  para se  livrarem de seus pecados.

Se ficou com vontade de experimentar algum dos quitutes, confira receitas dessa cultura nos podcasts abaixo:

 Samosa | Chapaty | Papadam

Orientações milenares

“Nós somos o que comemos” foi a frase dita por Luciano Ariel, membro da SIB (Sociedade Israelita da Bahia), quando questionado sobre os motivos de determinadas restrições alimentares do Judaísmo. Ariel segue a alimentação Kosher, termo hebraico que significa “próprio” ou “correto” e se refere aos alimentos permitidos de acordo com as leis alimentares judaicas (Kashrut), baseadas nas orientações contidas na Torá ao povo de Israel.

A Kashrut é um conjunto de leis bastante extenso, que possui regras básicas como: o abatimento dos animais permitidos – aqueles com patas fendidas como boi, cabra e ovelha – com a faca Chalaf, que faz um corte certeiro na carótida matando o animal na mesma hora, livrando-o de qualquer sofrimento; a drenagem de todo o sangue contido na carne; a proibição de ingeri-la juntamente com o leite para que não se misture a vida com a morte; e a não ingestão de moluscos e frutos do mar.

Entender o porquê dessas restrições alimentares é uma tarefa difícil. “Para saber isso você terá que falar com Moisés lá no tempo do deserto”, brinca Jacqueline Moreno, também membro da SIB e estudiosa da civilização judaica.

Segundo ela, a Torá é um livro aberto, com várias possibilidades de interpretação. Mas de acordo com seu ponto de vista, essas leis foram construídas baseadas nas condições em que viviam os judeus, por volta de 1250 a.C., nos 40 anos que atravessaram o deserto a caminho da terra prometida. “Imagine que não havia formas de armazenar o alimento e o sangue dos animais poderia ser tóxico, causar infecções”, completa.

Selo permite identificar alimentos produzidos no sistema kosher| Reprodução

Obediência

Em relação aos seres aquáticos, Ariel  afirma que  estudos posteriores ao período bíblico identificaram alguns traços em comum entre eles. “Os crustáceos e demais frutos do mar tendem a exercer uma atividade de limpeza das águas absorvendo muita matéria apodrecida. Ao ingerirmos esses animais, nos colocamos em situação de risco quando estes não são bem higienizados”.

Apesar das interpretações, ele diz que não são necessariamente essas as razões pelas quais os judeus observantes seguem uma dieta kosher. “O fazemos por ser parte das orientações dadas pelo Altíssimo ao povo de Israel”, acrescenta.

Ciência e Tecnologia

Em defesa da ciência

Sal e álcool ajudam mesmo gelar a cerveja mais rápido? “A ciência explica”, diz o clichê. Neste 8 de julho, no entanto, a ciência dá uma pausa nas explicações para comemorar. Por força das leis 10.221/2001 e 11.807/2008, a data marca o Dia Nacional da Ciência e o Dia Nacional do Pesquisador. Pensados como uma […]

Thiago Freire - 9 de julho de 2018

Comportamento

Brasileiros abusam do humor dos memes em momentos de tensão

Ultimamente esse ditado popular não parece fazer muito sentido para os brasileiros, pois eles fazem questão de provar que uma coisa não elimina a outra através da produção de memes. Se é trágico, pode ser muito cômico, sim! No final de maio deste ano, os caminhoneiros pararam o Brasil com uma greve que durou mais de […]

Rafaela Souza & Victor Fonseca - 3 de julho de 2018

Empreendedorismo na Bahia

Empreendedorismo baiano: Yes, nós temos tecnologia

Em sua segunda edição na Bahia, que aconteceu entre os dias 17 e 20 de maio, a Campus Party (CPBA) reuniu, além de palestrantes, cientistas e apaixonados por jogos e inovações, uma série de pessoas que resolveram empreender e mostrar seus projetos no espaço Startups & Creators. O espaço possibilitou que vários empreendedores apresentassem ao […]

Rafaela Souza, Victor Fonseca - 11 de junho de 2018

Educação

Bahia tem segundo menor investimento em educação por aluno

A Bahia tem o segundo menor investimento por aluno da rede estadual do Brasil. Em 2017, o estado investiu apenas R$ 3.837,51 por aluno da educação básica. Entre os 13 governos estaduais que declararam o investimento em educação básica de 2017 ao Governo Federal, apenas o Pará gastou menos com cada aluno: R$ 3.626,41. O […]

Cícero Cotrim e Yasmin Garrido - 6 de junho de 2018

Palhaçaria

Entrevista com Jonatas Campelo

Ainda não era noite, mas a Casa de Artes Sustentáveis (CAS) já estava em ritmo acelerado. Hoje tem espetáculo? Tem sim, senhor! Até parece um reforço de um bordão que nos remete à magia do circo, mas, sim, em 29 de junho, o artista circense Jonatas Campelo, 30, não se preparava apenas para o espetáculo […]

Cristiana Fernandes - 22 de julho de 2018

Justiça

Metade dos presos na Bahia não foram julgados

Um dos grandes desafios do sistema carcerário brasileiro na atualidade é a quantidade de presos provisórios que o integram. A morosidade do judiciário e a política de segurança pública voltada para encarcerar colaboram com a situação daqueles que sequer tiveram direito a um julgamento e uma condenação, mas foram privados de liberdade. Por meio do […]

Cícero Cotrim e Yasmin Garrido - 9 de julho de 2018

Copa

Copa nas ruas

O mês de junho, tradicionalmente, é um mês de festa na região Nordeste. Os festejos da época para as comemorações dos dias de São João (24) e São Pedro (29) deixam as ruas da capital e do interior mais enfeitadas. As portas das casas, as avenidas, as calçadas, todas são cobertas com as decorações típicas […]

Luís Felipe Brito, José Cairo e Felipe Iruatã - 3 de julho de 2018