Tags:, , ,

Cibercrime: criminosos também frequentam o espaço virtual

- 30 de julho de 2014

Crimes cometidos através da internet desafiam poder de investigação da policia e demandam cooperação internacional

Ailton Sena e Wilka Brasil

US$ 113 bilhões. Esse foi o prejuízo causado pelos crimes virtuais cometidos em 2013. No Brasil, a perda chegou a US$ 8 bilhões. Os dados revelados pelo relatório Tendências de Segurança Cibernética, realizado pela Sysmantec em conjunto com a Organização dos Estados Americanos, referem-se apenas aos prejuízos de consumidores com cartões de crédito clonado, não incluindo perdas de empresas e governos com roubo de dados.

A jornalista baiana Clarissa Viana, por pouco, não teve prejuízos financeiros com a invasão da sua conta de e-mail no ano passado. “Eles (os criminosos) tiveram acesso às minhas contas em lojas virtuais. Também tiveram acesso à minha conta da Paypal, através da qual utilizaram o meu cartão de crédito. Nas demais lojas, eles utilizaram cartões de terceiros, minhas contas foram usadas para cometer estelionatos”, conta. Segunda a jornalista, uma das compras seria entregue no estado de São Paulo, como mostra a  imagem abaixo.

Jornalista fez print do endereço onde seria entregue a compra. Fonte: Reprodução

O também jornalista Sérgio Júnior teve problema semelhante com roubo de dados. Confira no vídeo abaixo.

Crimes como o que aconteceu com os jornalistas, na Bahia, são investigados pelo Grupo Especializado de Repressão a Crimes por Meios Eletrônicos. De acordo com o delegado responsável pelo Grupo, Charles Leão, a unidade foi criada com a proposta de prestar apoio às delegacias, quando houver necessidade de conhecimentos especializados em tecnologia no decorrer da investigação. “De forma primária, também fazemos a investigação quando se trata de crime organizado com uso de tecnologia”, conta.

A unidade, no entanto, não tem exclusividade de atuação em crimes cibernéticos, que podem ser denunciadas nas delegacias de bairro ou no interior. “Se o delegado tiver conhecimento, ele permanece na presidência dos procedimentos, caso contrário ele aciona o nosso apoio”, explica Leão.

Clarissa denunciou o crime do qual foi vítima numa delegacia próxima de sua casa. Ela tentou fazer o Boletim de Ocorrência na unidade especializada por duas vezes, mas acabou desistindo. “No mesmo dia, fui procurar a delegacia especializada. Entretanto, fui informada que eles só atendiam nas segundas, quartas, e sextas-feiras, no horário de 8h às 12h. Como eu tinha chegado pouco antes das 12h, o funcionário não me atendeu”, relata.

Na segunda tentativa de registrar o crime na unidade especializada, ela soube que o computador que usava para escrever sua dissertação de mestrado deveria ficar retido por ao menos dois meses nas mãos da polícia. Além disso, o funcionário lhe exigiu o endereço IP do invasor, que segundo ele, seria fornecido pelo banco. “O banco alegou não ter acesso a esse tipo de informação, que o sistema informaria apenas que a compra tinha sido feita por telefone ou internet”, relata a jornalista.

Direitos Humanos – Em 2013, a SaferNet Brasil, associação civil com atuação nacional no combate a crimes pela internet, recebeu mais de 240 mil denúncias anônimas de violações aos direitos humanos. As denúncias foram feitas pela população brasileira, mas dizem respeito a páginas atribuídas a 69 países diferentes. Conteúdos publicados no Facebook (30,7%), Orkut (19,1%) e Youtube (3,4%) foram os mais denunciados.

Entre os crimes, pornografia infantil (32,84%), racismo (32,23%) e apologia e incitação a crimes contra a vida (12, 90%) ocupam as três primeiras posições nos índices de denúncias. Os registros foram feitos na Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos, em um formulário on-line da SaferNet Brasil que centraliza as denúncias, inclusive as recebidas pela Polícia Federal.

Leia mais
Pornografia infantil é o crime mais denunciado na rede
Internet é celeiro para crimes de ódio

Investigação – O Brasil também conta com delegacias especializadas em crimes cibernéticos nos estados do Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo. No Distrito Federal, a Polícia Civil conta com a Divisão Repressão aos Crimes de Alta Tecnologia (DICAT), que apóia as delegacias nas investigações dos crimes cibernéticos.

No entanto, apesar da diversidade de agentes do poder público para investigação dos delitos, chegar ao “cibercrimonoso” nem sempre é uma tarefa fácil. Em artigo publicado no site Jus Navigandi, o delegado Waldek Fachinelli enumera alguns problemas a serem superados para a elucidação de crimes praticados na internet.

“Com o aumento da utilização de smartphones, tablets e computadores portáteis, mais redes sem fio ou wireless vão sendo instaladas, dando acesso gratuito à internet, contudo, estas redes permitem o uso de pessoas não identificadas, o que é uma porta de oportunidades para criminosos, pois dificulta sua localização, assim como facilitam a intrusão nestas redes para fins maliciosos”, conta.

Outro problema apontado pelo delegado é a chamada computação nas nuvens, um serviço que permite ao usuário executar atividades e acessar arquivos e programas através da internet. Os dados não precisam estar salvos na máquina do usuário, eles podem estar salvos em um computador servidor, fora do país, o que segundo o delegado também dificulta o trabalho de investigação. Seja pela dificuldade em apreender o computador fora do país, seja pela demora dos provedores do serviço em prestar informações ou retirar sites do ar.

O delegado critica ainda a burocracia na cooperação entre países, a preparação da polícia, do judiciário e do Ministério Público e a legislação, que não acompanha as rápidas mudanças na sociedade. Já para o delegado Leão, a investigação trata-se apenas de uma questão de “seguir os rastros”. “Independente de ser virtual ou não, vai deixar vestígios. Nos bancos, nas operadoras, nos sites de compras, e vamos seguir esses vestígios, chegar onde está o dinheiro e, conseqüentemente, ao criminoso”, defende.

O coordenador do Grupo Especializado de Repressão a Crimes por Meios Eletrônicos, no entanto, reconhece a imprecisão geográfica do criminoso como um dificultador do trabalho. “O ‘x’ da questão do cibercrime hoje são as fronteiras geográficas. É muito mais fácil conversar com um policial em outro estado do que em outro país”, aponta. Entretanto, Leão pondera que, no caso da Polícia Civil, as fronteiras são, via de regra, estaduais. Ao passo que a Polícia Federal, no combate aos crimes contra os direitos humanos se depara com as fronteiras internacionais, contando com o apoio da Interpol.

Especial

Guerra da Água

No cerrado baiano, o agronegócio impacta a sobrevivência das comunidades tradicionais. A reportagem em áudio conta como a população de Correntina, no oeste da Bahia, tem sofrido ameaças e resistido à disputa por água em seu te Dê play e saiba mais sobre essa história. Material produzido a partir da proposta de pauta vencedora da […]

Leonardo Lima e Luísa Carvalho - 13 de dezembro de 2021

Editorial

Investigação participativa: reportagens que colocam o leitor no centro da história

Profa. Lívia Vieira As 13 reportagens multimídia feitas pela turma de Oficina de Jornalismo Digital em 2021.2 tiveram como base o conceito de investigação participativa. O termo, que em inglês é conhecido como engagement reporting, foi discutido em uma aula especial que tivemos com Giulia Afiune, editora de Audiências da Agência Pública. Na ocasião, Giulia […]

Profa. Lívia Vieira - 2 de dezembro de 2021


Racismo religioso

Salvador ainda é um ambiente inseguro para os praticantes de religiões afro

Dentro de casa ou no trabalho, praticantes de religiões de matrizes africanas relatam dificuldades na tentativa de exercer seu direito ao culto religioso. Expressões depreciativas, ataques a terreiros, xingamentos e até agressões. É assim que o racismo religioso se traveste de “opinião” em diversas partes do Brasil – incluindo Salvador, – uma das cidades mais […]

Josivan Vieira e Gabriele Santana - 1 de dezembro de 2021

Meio Ambiente

Salvador, primeira cidade planejada do Brasil, sofre com falta de infraestrutura

Habitantes de Salvador relatam problemas dos bairros onde vivem e denunciam falta de assistência do poder público. Os moradores de Salvador têm orgulho de dizer que vivem na primeira capital do Brasil. De propagandas até conversas em mesa de bar, soteropolitanos e pessoas que adotaram a cidade do axé e do dendê se gabam de […]

Brenda Roberta, Inara Almeida e Maysa Polcri - 1 de dezembro de 2021

Direito ao transporte

Assaltos a ônibus assustam população de Salvador

Cidadãos que dependem do transporte público relatam a experiência de insegurança cotidiana, embora Secretaria de Segurança Pública afirme que houve redução no número de assaltos a ônibus. Por Gilberto Barbosa, Leonardo Oliveira e Cesar Oliveira Os assaltos a ônibus são uma constante e assustam a população de Salvador que depende do transporte público para seguir […]

Gilberto Barbosa, Leonardo Oliveira e Cesar O. - 1 de dezembro de 2021

Direito à Cultura

Consumo de livros digitais aumenta e obras físicas têm baixa durante pandemia de Covid-19

Especialistas explicam que pandemia impulsionou mudança em formato de leitura. Por Adele Robichez, Felipe Aguiar, Nathália Amorim, Vinícius Harfush Um levantamento realizado pela reportagem em Salvador indicou que as pessoas passaram a consumir mais livros no formato digital durante a pandemia de covid-19. Segundo a pesquisa, que selecionou 68 moradores da capital para responder perguntas […]

Adele R, Felipe A, Nathália A, Vinícius H - 1 de dezembro de 2021

Economia criativa

Os desafios de viver de arte durante a pandemia

Assim como nós humanos, a economia foi imensamente impactada pelo distanciamento social, mas, felizmente, uma possível vacina para curar o problema já existe, e se chama criatividade. Não é exagero afirmar que nenhum brasileiro e nenhuma brasileira escapou ileso dos diversos e inesperados desafios vividos nos anos de 2020 e 2021. E eles têm um […]

Paulo Marques - 1 de dezembro de 2021

Direito à religião

Comunidades de matriz africana lutam por prática religiosa em espaços públicos de Salvador

Intervenções em locais comunitários preocupam terreiros que dependem da vegetação natural para exercer cultos Por Geovana Oliveira, Luana Lisboa, Victor Hugo Meneses e João Marcelo Bispo Até hoje, a vodunsi Mãe Cacau se emociona ao falar sobre o início das obras para a Estação Elevatória de Esgoto na Lagoa do Abaeté. Quando as máquinas chegaram […]

Geovana, Luana, Victor Hugo e João Marcelo - 1 de dezembro de 2021

Ordem de despejo

O caso da comunidade do Tororó, em Salvador, e a violação do direito à moradia

Moradores recebem ordem de despejo da localidade que está sendo especulada para construção de um estacionamento de um novo Shopping Center “Como os moradores são quase todos do mercado informal, a prefeitura ligava para eles e oferecia dinheiro. Como estavam todos sem dinheiro, começaram a negociar com a prefeitura. Nisso, com quem já tinha negociado, […]

Álene Rios, Júlia Lobo e Thainara Oliveira - 1 de dezembro de 2021

Cinema de rua

Histórias de quem viveu o cinema de rua de Salvador

Entenda o que aconteceu entre a época de ouro do cinema de rua e a expansão das grandes redes Tomar um café enquanto espera o horário do filme, entrar numa sala de cinema pequena, com menos de 100 lugares, para assistir a uma produção nacional. Esse ritual, muito comum até a década de 1990, é […]

Carol Cerqueira, Catarina Carvalho e Maria Andrade - 1 de dezembro de 2021

Direito à mobilidade

Pessoas com deficiência denunciam falta de acesso ao transporte de Salvador

Falta de fiscalização afeta funcionamento de elevadores em coletivos. Gabrielle Medrado, Gustavo Arcoverde, Marcela Villar e Rafaela Dultra Cadeirante desde 2014 após uma tentativa de assalto, o baiano Luan Veloso, 32, é paracanoísta profissional e terceiro colocado no ranking dos melhores do Brasil na maratona de sua categoria, a KL1, na qual atletas utilizam como […]

Gabrielle Medrado,Gustavo Arcoverde,Marcela Villar - 1 de dezembro de 2021

RAP em Salvador

O ritmo não para: batalhas de rima movimentam a cultura nas comunidades

Batalhas de rap voltam a acontecer em Salvador após suspensão causada pela pandemia de Covid-19 Após quase um ano e meio da pandemia de Covid-19, o setor artístico e cultural soteropolitano começou a tomar fôlego com a última fase de retomada das atividades econômicas, decretada pela prefeitura da capital baiana no dia 9 de julho […]

Danielle Campos, Kamille Martinho, Renata Falcone - 1 de dezembro de 2021

Direito à Segurânça

Não vá que é barril: A violência contra motoristas de aplicativo em Salvador

“Foi quando ele pegou a arma e apontou na minha cara, aí foi complicado”. Estamos na rua Candinho Fernandes, Fazenda Grande do Retiro, Salvador. São 8h30 da noite do dia 23 de dezembro de 2019, perto da véspera de Natal. Anselmo Cerqueira, que é motorista por aplicativo, está com o carro estacionado. Dois homens se […]

Adriano Motta, Lula Bonfim e Victor Lucca Ferreira - 1 de dezembro de 2021

Gerar problemas não é saudável

Consumidores relatam transtornos e dificuldades com planos de saúde

Mensalidades  subiram  quase 50% este ano, conforme aponta um levantamento divulgado pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) Por Andressa Franco, Everton Ruan e Laisa Gama No dia 25 de Março, Maria*, grávida de cinco meses, precisou ser encaminhada às pressas para o Hospital Santo Amaro. Ao chegar lá, precisou realizar uma cesária de […]

Andressa Franco, Everton Ruan e Laisa Gama - 1 de dezembro de 2021