A Câmara além dos vereadores

- 13 de abril de 2016

Um dia na Casa mostra como o trabalho de personagens tidos como secundárias é importante para o funcionamento da máquina pública

Dudu Assunção e Lorena Morgana | Foto destaque: Caíque Bouzas

São sete da manhã e algumas pessoas já estão do lado de dentro do Fórum Legislativo, no centro histórico de Salvador. Raimundo Carneiro é sempre um dos primeiros a chegar ao local. Cumprimenta as pessoas e vai para o banheiro se trocar – calçar sapatos, vestir camisa social e colocar gravata borboleta. Aos 61 anos, ele é garçom na Câmara há oito meses. “Eu chego às sete e só saio quando tudo acaba”. Às vezes não tem hora para acabar.

Quando tem sessão extra ou quando algumas votações se prolongam, Raimundo tem que ficar lá. “No início, a gente recebia a mais por isso, aí cortaram”, lamenta. Mesmo com o salário de vereador ultrapassando 15 mil reais, Raimundo diz que prefere continuar como garçom. Diz não ter vontade de se candidatar. “A gente sabe como é”. Não fala objetivamente, sorri, olha para a movimentação de outros funcionários que estão chegando e elabora melhor o que quer dizer. “Todo mundo sabe como a coisa funciona aqui. Hoje os caras se exaltam e brigam, mas amanhã tomam champanhe juntos no bar”, explica.

Nos dias de votação no plenário, o garçom precisa se vestir de maneira ainda mais formal. “Eu tenho que usar smoking completo. É bonito, mas faz muito calor”, explica sorrindo, enquanto aproveita para reclamar também do ar condicionado, que “não funciona bem para quem tem que andar pelos corredores o tempo todo”. Na bandeja, leva sempre água e café, únicas bebidas servidas na Câmara. “Quando vou dentro dos gabinetes, entro mudo e saio calado”. Ele conta que já ouviu conversas em reuniões a portas fechadas, mas não revela nenhum conteúdo. “Só digo que pedem café antes, durante e depois de cada reunião”.

Da casa

Quando se aproxima das oito da manhã, horário em que as portas da Câmara se abrem para o público, o porteiro Milton Oliveira, de 63 anos, se levanta e vai até a entrada para organizar em filas as pessoas que querem conversar com vereadores em seus gabinetes. Lá dentro, a movimentação também é intensa. Entre faxineiros que limpam o chão e os vidros das janelas, Romenildo Alencar, Auxiliar Legislativo de 52 anos, orienta alguns carregadores que chegam com mesas e sofás, peças que serão usadas no lançamento de um livro, à tarde, no Centro Cultural da Câmara. Romenildo tem pressa, pois prevê movimentação intensa de manhã, na sessão para debater o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano. ”Em dia de PDDU, o bicho pega”, diz com a certeza de quem trabalha na casa desde 1987.

Romenildo Alencar, mais conhecido como Roma, trabalha na câmara desde 1987 | Foto: Caíque Bouzas

Romenildo, que é formado em Direito, Educação Física e já foi jogador de futebol profissional, gosta de acompanhar atentamente as discussões na Câmara. “No meio da sessão, às vezes eu fico doido para levantar a mão e dar alguma opinião, mas sei que não posso”. Então, aproveita a intimidade que tem com alguns vereadores para sugerir coisas novas. “Tem dia que eu paro um no corredor e falo: rapaz, isso aqui não está certo”.  Ele conversa com os vereadores e com todos que passam pelo local onde trabalha. Os 29 anos de profissão o ajudam a conhecer dos mais novos aos mais antigos, e ninguém estranha que “Roma”, seu apelido, esteja escrito no crachá de identificação do auxiliar. Todo mundo o chama assim. “Só depois de muito tempo que eu consegui mudar esse nome”, diz, depois de perceber que sua previsão não estava certa. A sessão para discutir o PDDU não lotou. No auditório, pouco mais de um terço dos lugares disponíveis foram ocupados. “Uma coisa tão importante quanto o PDDU da educação, e ninguém vem”, lamenta Roma, usando a mesma frase dita por um vereador que sentava à mesa.

Olhos institucionais

Enquanto os debates aconteciam, José Ribeiro acompanhava o trabalho das duas pessoas que filmavam a sessão. Quando um vereador falou de maneira mais inflamada no microfone, Ribeiro andou rápido para a cabine de som e lembrou o operador de ficar atento à equalização do áudio, para não ter muita oscilação no volume da transmissão. Ribeiro tem essa preocupação todos os dias. Ele é o coordenador de rádio e TV, responsável pelos conteúdos produzidos pelos veículos oficiais da Câmara Municipal. “A gente nunca está satisfeito com o equipamento que tem, mas tenta fazer o melhor trabalho possível”, explica, preocupado em elogiar a equipe.  Aos 69 anos, José Ribeiro conta que já poderia ter se aposentado, pois exerce sua função há 49 anos, mas tem muito gosto pelo que faz. “Apesar disso, sei que aqui eu tenho prazo de validade”, pontua o coordenador, que sabe da fragilidade de seu posto.

A equipe de Rádio e TV foi montada no início da gestão atual, em 2013, e os contratos terminam no dia 31 de dezembro deste ano. “Eu tenho 43 patrões [os vereadores], que podem mudar depois das eleições. Então não sei se vão me querer aqui ainda”, conta, antes de afirmar que tem bom relacionamento com os vereadores, mesmo depois de desentendimentos com alguns. “Quando teve aquele protesto do Movimento Passe Livre [em 2013], manifestantes se acorrentaram em frente à Câmara. Aí uns vereadores que apoiavam o movimento queriam que a equipe de TV cobrisse”. O episódio rendeu discussões, pois a equipe de TV não foi deslocada para a cobertura. “Não era uma atividade da Casa, não tinha como ir”, diz Ribeiro, reafirmando que tomou a decisão que considera correta. “Hoje está tudo bem. O pessoal confia no nosso trabalho”.

A equipe de Rádio e TV trabalha enquanto tiver sessão. Tudo é transmitido ao vivo e, posteriormente, Ribeiro edita o material para disponibilizar na internet. “Eu só faço pequenos ajustes para melhorar a qualidade da imagem e do som. Mas quando um xinga a mãe do outro, aí eu tiro. Isso não tem como deixar”. Quando perguntado sobre a possibilidade de um dia se tornar político, Ribeiro é enfático: “Já estou vacinado faz tempo”. Quem também já acompanhou momentos acalorados de discussão entre os vereadores foi o fotógrafo Reginaldo Ipê, mas ele prefere não entrar em detalhes, muito menos citar nomes. “Eu sou da assessoria de comunicação, qualquer coisa pode me complicar”.

José Ribeiro, coordenador de rádio e TV, exerce a função há 49 anos | Foto: Caíque Bouzas

Na Câmara, as pessoas conversam e olham sempre para os lados, acompanhando a movimentação. Entre os funcionários, muitos recusam qualquer diálogo com a imprensa. O cuidado exagerado é pela fragilidade de alguns empregos. Muitos são terceirizados, outros estão ali por apadrinhamento, em cargos comissionados. Transparência despreocupada mesmo só nas laterais do Centro Cultural da Câmara, que são de vidro e dão vista panorâmica para o Elevador Lacerda e para a Baía de Todos os Santos. A paisagem talvez encantasse algum turista, mas ali quase ninguém nota. É difícil se encantar pelo que faz parte do cotidiano.

Leia Mais

Para quê tanta homenagem?

Especial

Guerra da Água

No cerrado baiano, o agronegócio impacta a sobrevivência das comunidades tradicionais. A reportagem em áudio conta como a população de Correntina, no oeste da Bahia, tem sofrido ameaças e resistido à disputa por água em seu te Dê play e saiba mais sobre essa história. Material produzido a partir da proposta de pauta vencedora da […]

Leonardo Lima e Luísa Carvalho - 13 de dezembro de 2021

Editorial

Investigação participativa: reportagens que colocam o leitor no centro da história

Profa. Lívia Vieira As 13 reportagens multimídia feitas pela turma de Oficina de Jornalismo Digital em 2021.2 tiveram como base o conceito de investigação participativa. O termo, que em inglês é conhecido como engagement reporting, foi discutido em uma aula especial que tivemos com Giulia Afiune, editora de Audiências da Agência Pública. Na ocasião, Giulia […]

Profa. Lívia Vieira - 2 de dezembro de 2021


Racismo religioso

Salvador ainda é um ambiente inseguro para os praticantes de religiões afro

Dentro de casa ou no trabalho, praticantes de religiões de matrizes africanas relatam dificuldades na tentativa de exercer seu direito ao culto religioso. Expressões depreciativas, ataques a terreiros, xingamentos e até agressões. É assim que o racismo religioso se traveste de “opinião” em diversas partes do Brasil – incluindo Salvador, – uma das cidades mais […]

Josivan Vieira e Gabriele Santana - 1 de dezembro de 2021

Meio Ambiente

Salvador, primeira cidade planejada do Brasil, sofre com falta de infraestrutura

Habitantes de Salvador relatam problemas dos bairros onde vivem e denunciam falta de assistência do poder público. Os moradores de Salvador têm orgulho de dizer que vivem na primeira capital do Brasil. De propagandas até conversas em mesa de bar, soteropolitanos e pessoas que adotaram a cidade do axé e do dendê se gabam de […]

Brenda Roberta, Inara Almeida e Maysa Polcri - 1 de dezembro de 2021

Direito ao transporte

Assaltos a ônibus assustam população de Salvador

Cidadãos que dependem do transporte público relatam a experiência de insegurança cotidiana, embora Secretaria de Segurança Pública afirme que houve redução no número de assaltos a ônibus. Por Gilberto Barbosa, Leonardo Oliveira e Cesar Oliveira Os assaltos a ônibus são uma constante e assustam a população de Salvador que depende do transporte público para seguir […]

Gilberto Barbosa, Leonardo Oliveira e Cesar O. - 1 de dezembro de 2021

Direito à Cultura

Consumo de livros digitais aumenta e obras físicas têm baixa durante pandemia de Covid-19

Especialistas explicam que pandemia impulsionou mudança em formato de leitura. Por Adele Robichez, Felipe Aguiar, Nathália Amorim, Vinícius Harfush Um levantamento realizado pela reportagem em Salvador indicou que as pessoas passaram a consumir mais livros no formato digital durante a pandemia de covid-19. Segundo a pesquisa, que selecionou 68 moradores da capital para responder perguntas […]

Adele R, Felipe A, Nathália A, Vinícius H - 1 de dezembro de 2021

Economia criativa

Os desafios de viver de arte durante a pandemia

Assim como nós humanos, a economia foi imensamente impactada pelo distanciamento social, mas, felizmente, uma possível vacina para curar o problema já existe, e se chama criatividade. Não é exagero afirmar que nenhum brasileiro e nenhuma brasileira escapou ileso dos diversos e inesperados desafios vividos nos anos de 2020 e 2021. E eles têm um […]

Paulo Marques - 1 de dezembro de 2021

Direito à religião

Comunidades de matriz africana lutam por prática religiosa em espaços públicos de Salvador

Intervenções em locais comunitários preocupam terreiros que dependem da vegetação natural para exercer cultos Por Geovana Oliveira, Luana Lisboa, Victor Hugo Meneses e João Marcelo Bispo Até hoje, a vodunsi Mãe Cacau se emociona ao falar sobre o início das obras para a Estação Elevatória de Esgoto na Lagoa do Abaeté. Quando as máquinas chegaram […]

Geovana, Luana, Victor Hugo e João Marcelo - 1 de dezembro de 2021

Ordem de despejo

O caso da comunidade do Tororó, em Salvador, e a violação do direito à moradia

Moradores recebem ordem de despejo da localidade que está sendo especulada para construção de um estacionamento de um novo Shopping Center “Como os moradores são quase todos do mercado informal, a prefeitura ligava para eles e oferecia dinheiro. Como estavam todos sem dinheiro, começaram a negociar com a prefeitura. Nisso, com quem já tinha negociado, […]

Álene Rios, Júlia Lobo e Thainara Oliveira - 1 de dezembro de 2021

Cinema de rua

Histórias de quem viveu o cinema de rua de Salvador

Entenda o que aconteceu entre a época de ouro do cinema de rua e a expansão das grandes redes Tomar um café enquanto espera o horário do filme, entrar numa sala de cinema pequena, com menos de 100 lugares, para assistir a uma produção nacional. Esse ritual, muito comum até a década de 1990, é […]

Carol Cerqueira, Catarina Carvalho e Maria Andrade - 1 de dezembro de 2021

Direito à mobilidade

Pessoas com deficiência denunciam falta de acesso ao transporte de Salvador

Falta de fiscalização afeta funcionamento de elevadores em coletivos. Gabrielle Medrado, Gustavo Arcoverde, Marcela Villar e Rafaela Dultra Cadeirante desde 2014 após uma tentativa de assalto, o baiano Luan Veloso, 32, é paracanoísta profissional e terceiro colocado no ranking dos melhores do Brasil na maratona de sua categoria, a KL1, na qual atletas utilizam como […]

Gabrielle Medrado,Gustavo Arcoverde,Marcela Villar - 1 de dezembro de 2021

RAP em Salvador

O ritmo não para: batalhas de rima movimentam a cultura nas comunidades

Batalhas de rap voltam a acontecer em Salvador após suspensão causada pela pandemia de Covid-19 Após quase um ano e meio da pandemia de Covid-19, o setor artístico e cultural soteropolitano começou a tomar fôlego com a última fase de retomada das atividades econômicas, decretada pela prefeitura da capital baiana no dia 9 de julho […]

Danielle Campos, Kamille Martinho, Renata Falcone - 1 de dezembro de 2021

Direito à Segurânça

Não vá que é barril: A violência contra motoristas de aplicativo em Salvador

“Foi quando ele pegou a arma e apontou na minha cara, aí foi complicado”. Estamos na rua Candinho Fernandes, Fazenda Grande do Retiro, Salvador. São 8h30 da noite do dia 23 de dezembro de 2019, perto da véspera de Natal. Anselmo Cerqueira, que é motorista por aplicativo, está com o carro estacionado. Dois homens se […]

Adriano Motta, Lula Bonfim e Victor Lucca Ferreira - 1 de dezembro de 2021

Gerar problemas não é saudável

Consumidores relatam transtornos e dificuldades com planos de saúde

Mensalidades  subiram  quase 50% este ano, conforme aponta um levantamento divulgado pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) Por Andressa Franco, Everton Ruan e Laisa Gama No dia 25 de Março, Maria*, grávida de cinco meses, precisou ser encaminhada às pressas para o Hospital Santo Amaro. Ao chegar lá, precisou realizar uma cesária de […]

Andressa Franco, Everton Ruan e Laisa Gama - 1 de dezembro de 2021