Tags:, , , ,

Segue o Som: Quais são os desafios de fazer música em Salvador?

Luana Lima, Marina Matos - 13 de junho de 2018

Em dezembro de 2015, Salvador foi eleita pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) como Cidade da Música. Esse reconhecimento potencializa a diversidade da cena musical soteropolitana e indica possibilidades de crescimento. Para Ricardo Rosa, produtor cultural e diretor da Ruffo Marketing, Cultura e Arte, “a gente talvez esteja no momento mais frutífero de um novo mercado baiano”.

Ainda assim, consolidar a carreira em um local com histórico de força do axé music é um desafio. Ricardo Rosa destaca a importância da música traduzir a verdade da banda e do artista: “O grande problema é quando você passa por um processo de imposição mercadológica”.

 Bandas e artistas em início de carreira encontram diversos obstáculos para se inserir na cena musical da cidade em razão da necessidade de construção da identidade e de seu público, e pela falta de investimento, entre outros fatores. Quem está começando enfrenta desafios para conquistar espaço em uma cena musical que, por muitas vezes, opera por meio de uma lógica mercadológica que não favorece a diversidade.

 

Construção da identidade musical

A Flerte Flamingo vive essas dificuldades no dia a dia. A banda soteropolitana surgiu em abril de 2016 com o único objetivo de se juntar e tocar. O EP mais recente do grupo, “Postura e Água Fresca”, foi lançado em março de 2018 e as canções têm influências de gêneros como o samba, o samba reggae e o pop rock.

 

Leonardo Passovi, vocalista da Flerte Flamingo / Crédito: Marina Matos

 

Transformar ideias e devaneios em música não é tarefa fácil. Compreender o processo criativo é um passo importante para que a dinâmica produtiva dos artistas e bandas seja mais fluída. “Eu costumo escrever sozinho, tenho um pouco de dificuldade para escrever em conjunto, e tenho lutado contra isso. Quando a gente leva pra banda a coisa se coletiviza mais, mostro minha ideia, toco a música e penso junto”, conta Leonardo.

Uma grande dificuldade está em estabelecer uma unidade que represente o grupo ou o artista. “A gente começou a se sentir mais à vontade quando trouxe [a música] para raízes nacionais. Começou a ficar com uma naturalidade maior e fluía mais facilmente”, explica Leonardo. Além disso, o músico avalia que a Flerte Flamingo tem em suas músicas uma baianidade que gera identificação do público.

Fazer da música um projeto que alie a realização pessoal com a sustentabilidade financeira também se apresenta como um desafio para essas bandas e músicos. O artista depende de agenda para obter equilíbrio no seu projeto de música devido ao tempo que ele precisa de ensaio, show, composição, construção de network, etc. Para Ricardo, a grande carta na manga para a novas bandas e músicos conquistarem espaço na cena musical é a criatividade. “O artista precisa estar mais criativo pra poder pensar em mais nuances pro show, mais possibilidades de eventos, em desassociar o peso do evento na captação de público, e sim criar uma dinâmica onde ele consiga ter um plano de circulação mínima”, destaca.

Outra estratégia de conquista de público utilizada por bandas em início de carreira passa também por shows com ingressos mais baratos porque as pessoas, naturalmente, tendem a não querer colocar muito recurso financeiro naquilo que elas não sabem se vai ser de qualidade, se vai ter um retorno, como forma de proteção. Porém, a longo prazo, isto pode representar um obstáculo para o momento em que esses artistas comecem a trabalhar com entradas mais caras. No entanto, Leonardo acredita que “mercadologicamente falando, a diferença não é tão substancial se o preço não for algo absurdo e for bem bem justificado”. Para o vocalista do Flerte Flamingo, o respaldo para cobrar ingressos mais caros apenas pelo nome do artista é algo que leva mais tempo.

Tá na Rede

Com o advento da internet, muita coisa mudou na relação artista e público. Para Ricardo Rosa, “a formação de platéia é um grande exercício que envolve entender como se comunicar com o público, além de entender o que a música representa. “O ponto de partida de tudo é a internet, depois o show e a grande mídia. O caminho hoje é esse.” conta o produtor. O canal Novo Artista apresenta no vídeo abaixo três passos para construir o público do zero, utilizando a internet como parte da estratégia.

 

 

Leonardo Passovi também vê a internet como um difusor importante. Para ele, “é um meio de trabalho acessível. Antes as pessoas tinham que correr para o Youtube, para o SoundCloud e quando o “som” está organizado, [o público] fica mais receptivo.” A banda está presente no Youtube, Facebook e Instagram, e disponibiliza suas músicas nos serviços de streaming Deezer, Spotify, Apple Music e iTunes.

A presença em plataformas musicais, para Leonardo, é fundamental para a credibilidade da banda e do artista que está iniciando a carreira. “O streaming trouxe de certa forma uma possibilidade de profissionalização. Uma banda que consegue colocar seu som na plataforma acessa o ouvinte desconhecido”.

 

Clique no PLAY

 

Conheça o som do grupo Flerte Flamingo

 

 

Editorial

Investigação participativa: reportagens que colocam o leitor no centro da história

Profa. Lívia Vieira As 13 reportagens multimídia feitas pela turma de Oficina de Jornalismo Digital em 2021.2 tiveram como base o conceito de investigação participativa. O termo, que em inglês é conhecido como engagement reporting, foi discutido em uma aula especial que tivemos com Giulia Afiune, editora de Audiências da Agência Pública. Na ocasião, Giulia […]

Profa. Lívia Vieira - 1 de dezembro de 2021


Racismo religioso

Salvador ainda é um ambiente inseguro para os praticantes de religiões afro

Dentro de casa ou no trabalho, praticantes de religiões de matrizes africanas relatam dificuldades na tentativa de exercer seu direito ao culto religioso. Expressões depreciativas, ataques a terreiros, xingamentos e até agressões. É assim que o racismo religioso se traveste de “opinião” em diversas partes do Brasil – incluindo Salvador, – uma das cidades mais […]

Josivan Vieira e Gabriele Santana - 1 de dezembro de 2021

Gerar problemas não é saudável

Consumidores relatam transtornos e dificuldades com planos de saúde

Mensalidades  subiram  quase 50% este ano, conforme aponta um levantamento divulgado pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). Por Andressa Franco, Everton Ruan e Laisa Gama No dia 25 de Março, Maria*, grávida de cinco meses, precisou ser encaminhada às pressas para o Hospital Santo Amaro. Ao chegar lá, precisou realizar uma cesária de […]

Andressa Franco, Everton Ruan e Laisa Gama - 1 de dezembro de 2021

Direito ao transporte

Assaltos a ônibus assustam população de Salvador

Cidadãos que dependem do transporte público relatam a experiência de insegurança cotidiana, embora Secretaria de Segurança Pública afirme que houve redução no número de assaltos a ônibus Os assaltos a ônibus são uma constante e assustam a população de Salvador que depende do transporte público para seguir sua rotina. Pode ser a caminho do trabalho, […]

Gilberto Barbosa, Leonardo Oliveira e Paulo César - 1 de dezembro de 2021

Direito à Cultura

Consumo de livros digitais aumenta e obras físicas têm baixa durante pandemia de Covid-19

Especialistas explicam que pandemia impulsionou mudança em formato de leitura. Por Adele Robichez, Felipe Aguiar, Nathália Amorim, Vinícius Harfush Um levantamento realizado pela reportagem em Salvador indicou que as pessoas passaram a consumir mais livros no formato digital durante a pandemia de covid-19. Segundo a pesquisa, que selecionou 68 moradores da capital para responder perguntas […]

Adele R, Felipe A, Nathália A, Vinícius H - 1 de dezembro de 2021

Meio Ambiente

Salvador, primeira cidade planejada do Brasil, sofre com falta de infraestrutura

Habitantes de Salvador relatam problemas dos bairros onde vivem e denunciam falta de assistência do poder público. Os moradores de Salvador têm orgulho de dizer que vivem na primeira capital do Brasil. De propagandas até conversas em mesa de bar, soteropolitanos e pessoas que adotaram a cidade do axé e do dendê se gabam de […]

Brenda Roberta, Inara Almeida e Maysa Polcri - 1 de dezembro de 2021

Direito à religião

Comunidades de matriz africana lutam por prática religiosa em espaços públicos de Salvador

Intervenções em locais comunitários preocupam terreiros que dependem da vegetação natural para exercer cultos Por Geovana Oliveira, Luana Lisboa, Victor Hugo Meneses e João Marcelo Bispo Até hoje, a vodunsi Mãe Cacau se emociona ao falar sobre o início das obras para a Estação Elevatória de Esgoto na Lagoa do Abaeté. Quando as máquinas chegaram […]

Geovana, Luana, Victor Hugo e João Marcelo - 1 de dezembro de 2021

Ordem de despejo

O caso da comunidade do Tororó, em Salvador, e a violação do direito à moradia

Moradores recebem ordem de despejo da localidade que está sendo especulada para construção de um estacionamento de um novo Shopping Center “Como os moradores são quase todos do mercado informal, a prefeitura ligava para eles e oferecia dinheiro. Como estavam todos sem dinheiro, começaram a negociar com a prefeitura. Nisso, com quem já tinha negociado, […]

Álene Rios, Júlia Lobo e Thainara Oliveira - 1 de dezembro de 2021

Cinema de rua

Histórias de quem viveu o cinema de rua de Salvador

Entenda o que aconteceu entre a época de ouro do cinema de rua e a expansão das grandes redes Tomar um café enquanto espera o horário do filme, entrar numa sala de cinema pequena, com menos de 100 lugares, para assistir a uma produção nacional. Esse ritual, muito comum até a década de 1990, é […]

Carol Cerqueira, Catarina Carvalho e Maria Andrade - 1 de dezembro de 2021

Economia criativa

Os desafios de viver de arte durante a pandemia

Assim como nós humanos, a economia foi imensamente impactada pelo distanciamento social, mas, felizmente, uma possível vacina para curar o problema já existe, e se chama criatividade. Não é exagero afirmar que nenhum brasileiro e nenhuma brasileira escapou ileso dos diversos e inesperados desafios vividos nos anos de 2020 e 2021. E eles têm um […]

Paulo Marques - 1 de dezembro de 2021

Direito à mobilidade

Pessoas com deficiência denunciam falta de acesso ao transporte de Salvador

Falta de fiscalização afeta funcionamento de elevadores em coletivos. Cadeirante desde 2014 após uma tentativa de assalto, o baiano Luan Veloso, 32, é paracanoísta profissional e terceiro colocado no ranking dos melhores do Brasil na maratona de sua categoria, a KL1, na qual atletas utilizam como força principal os braços. Fora das águas, no entanto, […]

Gabrielle Medrado,Gustavo Arcoverde,Marcela Villar - 29 de novembro de 2021