Tags:, , , , , , , ,

“Importante é ter a profissão de jornalista reconhecida, o diploma respeitado e o ensino qualificado”.

- 8 de junho de 2011

Nesta entrevista exclusiva ao Impressão Digital 126, Sérgio Mattos fala de formação, diploma, tecnologia e outros aspectos da profissão do jornalista na atualidade.

Por Edna Matos

Sérgio Mattos diz que a defesa do jornalismo de nível universitário deve ser feita por todos

Em meio às discussões sobre o fim da obrigatoriedade do diploma de Jornalismo e até sobre o fim da profissão de jornalista, o Ministério da Educação (MEC) constituiu, em 2009, uma Comissão de Especialistas para discutir o ensino do Jornalismo no país e se ele deve continuar como habilitação da área de Comunicação Social. Um dos participantes desta comissão, professor baiano Sérgio Mattos, fala ao Impressão Digital 126 sobre a nova proposta de organização curricular e os indicativos para elaboração de projetos pedagógicos para o curso de graduação em Jornalismo, no Brasil.  Aborda, também, as condições atuais do mercado de trabalho e o que, apesar de tudo, atrai tantos jovens para a profissão. Sérgio Matos é jornalista formado pela Universidade Federal da Bahia (1971), mestre em Comunicação pela Universidade do Texas, em Austin, Estados Unidos (1980), doutor em Comunicação pela Universidade do Texas, em Austin, Estados Unidos (1982). É poeta, cronista, compositor e pesquisador universitário com 25 livros publicados, no Brasil e no exterior. Atualmente, é professor de Jornalismo da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB).

Impressão Digital 126 – O que motivou o Ministério da Educação (MEC) a criar uma Comissão de Especialistas para propor mudanças curriculares nos cursos de Jornalismo: atualização acadêmica ou adequação ao mercado?

Sergio Mattos – A Comissão de Especialistas foi nomeada com a missão de repensar o ensino de Jornalismo no contexto de uma sociedade em processo de transformação e também com o objetivo de fortalecer a democracia, pois o Jornalismo, bem como outros campos do conhecimento, desempenha um papel fundamental na valorização da cidadania, informando e formando opinião pública.

Impressão Digital 126 – Quais os principais aspectos dos currículos atuais que precisam ser mudados e que benefício isso trará para a formação dos novos jornalistas?

SM – As diretrizes propostas pela comissão visam, essencialmente, aperfeiçoar o ensino do Jornalismo, valorizando a profissão e qualificando ainda mais os futuros jornalistas. Para tanto, a restauração do estágio supervisionado (uma antiga reivindicação dos estudantes) poderá trazer uma melhor interação e aproximação entre a universidade e o mercado. Outra proposta, também um pleito antigo, é a possibilidade de instauração de cursos de mestrado profissional em Jornalismo. A autonomia curricular proposta também se constitui num imperativo para a reciclagem dos projetos pedagógicos dos cursos de Jornalismo. Considerando que do jornalismo que hoje se pratica exige-se tanto o domínio das técnicas e artes da narração quanto o domínio da lógica e das teorias da argumentação, além do manejo competente das habilidades pedagógicas, as propostas incluídas pela comissão atendem à nova fisionomia que o mundo globalizado e informacional atribui ao jornalismo. Acredito que esta pergunta pode ser respondida com a própria Proposta de Diretrizes Curriculares no que diz respeito à organização do curso. Mas, em linhas gerais, a comissão entende que a estrutura do curso de graduação em Jornalismo deve ter como eixo do desenvolvimento curricular as necessidades de informação e de expressão dialógica dos indivíduos e da sociedade e utilizar metodologias que privilegiem a participação ativa do aluno na construção do conhecimento estimulando a interação entre o ensino, a pesquisa e a extensão. É fundamental promover a integração teoria/prática e propiciar a interação permanente do aluno com fontes, profissionais e públicos do jornalismo desde o início de sua formação, estimulando-o a lidar com problemas reais.

Impressão Digital 126 – O que a comissão considera como componentes mínimos para elaboração do Projeto Pedagógico do curso de Jornalismo?

SM – A comissão entende que o projeto pedagógico deve ter por objetivo a formação de profissionais dotados de competência teórica, técnica, tecnológica, ética e estética para que o profissional possa atuar de maneira crítica.  Por isso deve dar ênfase ao espírito empreendedor e ao domínio científico, além de estar focado na especificidade do jornalismo, destacando a prática profissional dentro de padrões internacionalmente reconhecidos. Deve ainda aprofundar o compromisso com a profissão e os seus valores, por meio da elevação da auto-estima profissional. O projeto pedagógico deve estar atento para cuidar da preparação de profissionais para atuarem num contexto de mutação tecnológica constante e ter como horizonte o ambiente regido pela convergência tecnológica onde o impresso não seja a espinha dorsal. Deve ainda incluir na formação as rotinas de trabalho do jornalista em assessorias de comunicação e pensar a graduação como uma etapa da formação profissional continuada e permanente.

Impressão Digital 126 – O que se tem ouvido dizer é que o jornalismo multimídia precariza o trabalho do jornalista, pois cria o “profissional faz tudo” que trabalha demais sem que haja correspondência com os salários e com a qualidade da produção. O que tem de verdade nessa afirmação?

SM – O jornalista de hoje atua num contexto tecnológico de mutação constante e por isso ele tem que estar preparado para trabalhar com ferramentas e plataformas distintas. O jornalista tem que se adaptar à nova realidade. Com referência à precarização do trabalho do jornalista com baixos salários só posso dizer, a partir de observações pessoais, que esta situação tem relação direta com as transformações que também estão atingindo as empresas que se encontram em fase de transformação e de atualização tecnológica, procurando se adaptar às novas tendências. A expectativa é de que tudo venha a se adaptar, tanto o profissional com melhor qualidade e atualizado tecnologicamente como as empresas também modernizadas e pagando salários justos.

Impressão Digital 126 – Dá para viver de jornalismo na Bahia?

SM – Quem escolhe o Jornalismo como profissão sabe que nunca ficará rico, mas que poderá viver com dignidade, desde que se imponha como profissional ético, competente e de qualidade. A credibilidade profissional é fundamental para que o jornalista seja reconhecido como profissional de destaque. Sim, acredito que dá para viver de jornalismo na Bahia.

Impressão Digital 126 – Porque a maioria dos profissionais defende a obrigatoriedade do diploma para o exercício do jornalismo? Não seria mais sensato brigar por uma formação de qualidade por parte das faculdades e deixar que o mercado decida pelo seu reconhecimento? Afinal, a simples posse do diploma não garante a qualidade do profissional em nenhuma área.

SM – A defesa do jornalismo de nível universitário deve ser feita por todos, pois o Jornalismo é uma profissão importante na defesa das liberdades individuais, exercendo papel fundamental no fortalecimento da democracia e contribuindo para a formação da  opinião pública e na construção de uma sociedade consciente e responsável. Sou a favor do diploma de Jornalismo. Quanto à obrigatoriedade do diploma para o exercicio profissional, como tratada por muitos, está relacionada diretamente à reserva de mercado. Se considerarmos que nenhuma empresa de comunicação vai investir quatro anos na formação de profissionais e que elas vão continuar buscando seus profissionais junto às universidades, o emprego já está garantido àqueles que forem portadores de diplomas de nível superior provenientes de cursos de qualidade. As questões que devem ser defendidas por todos, na minha opinião pessoal como profissional da área, é que a profissão seja reconhecida, o diploma de jornalista respeitado e o ensino do Jornalismo no país seja qualificado. Concordo com você, devemos lutar por uma formação de qualidade.

Impressão Digital 126 – O que atrai muitos jovens para a profissão de jornalista é a sua imagem de “mocinho”. O jornalista ainda é o último romântico?

SM – Vivemos na era da informação, na era da tecnologia digital… Se antigamente o jornalismo atraía pelo romantismo, pelo dinamismo, pela aventura e muitas outras coisas, hoje além dessas milhares de razões,  continua atraindo os jovens pelo dinamismo, pela novidade,  pelos desafios  tecnológicos e principalmente pelo encantamento de múltiplas formas de comunicação e transmissão de idéias. De posse, por exemplo, de um celular, o jovem pode ao mesmo tempo ser emissor, editor, transmissor e receptor de notícias, pois ele pode gravar a voz, imagem, fotografar, filmar, editar e transmitir informações individualmente. No Jornalismo, ele poderá ampliar esta perspectiva e utilizar ferramentas e plataformas muito mais poderosas, dando sua contribuição à cidadania, à construção de um mundo melhor. Acredito que seja isso que tanto atrai a juventude para o jornalismo.

Aqui, você pode ler a Proposta para as novas Diretrizes Curriculares de Jornalismo

 

Continue lendo:

Para sobreviver, o jornalismo precisa se adaptar às novas tecnologias

O constante desafio de ser jornalista

Processo de convergência midiática afeta as relações trabalhistas entre jornalistas e empresas

Decisão do STF não provoca corrida para registro de jornalista

Especial

Guerra da Água

No cerrado baiano, o agronegócio impacta a sobrevivência das comunidades tradicionais. A reportagem em áudio conta como a população de Correntina, no oeste da Bahia, tem sofrido ameaças e resistido à disputa por água em seu te Dê play e saiba mais sobre essa história. Material produzido a partir da proposta de pauta vencedora da […]

Leonardo Lima e Luísa Carvalho - 13 de dezembro de 2021

Editorial

Investigação participativa: reportagens que colocam o leitor no centro da história

Profa. Lívia Vieira As 13 reportagens multimídia feitas pela turma de Oficina de Jornalismo Digital em 2021.2 tiveram como base o conceito de investigação participativa. O termo, que em inglês é conhecido como engagement reporting, foi discutido em uma aula especial que tivemos com Giulia Afiune, editora de Audiências da Agência Pública. Na ocasião, Giulia […]

Profa. Lívia Vieira - 2 de dezembro de 2021


Racismo religioso

Salvador ainda é um ambiente inseguro para os praticantes de religiões afro

Dentro de casa ou no trabalho, praticantes de religiões de matrizes africanas relatam dificuldades na tentativa de exercer seu direito ao culto religioso. Expressões depreciativas, ataques a terreiros, xingamentos e até agressões. É assim que o racismo religioso se traveste de “opinião” em diversas partes do Brasil – incluindo Salvador, – uma das cidades mais […]

Josivan Vieira e Gabriele Santana - 1 de dezembro de 2021

Meio Ambiente

Salvador, primeira cidade planejada do Brasil, sofre com falta de infraestrutura

Habitantes de Salvador relatam problemas dos bairros onde vivem e denunciam falta de assistência do poder público. Os moradores de Salvador têm orgulho de dizer que vivem na primeira capital do Brasil. De propagandas até conversas em mesa de bar, soteropolitanos e pessoas que adotaram a cidade do axé e do dendê se gabam de […]

Brenda Roberta, Inara Almeida e Maysa Polcri - 1 de dezembro de 2021

Direito ao transporte

Assaltos a ônibus assustam população de Salvador

Cidadãos que dependem do transporte público relatam a experiência de insegurança cotidiana, embora Secretaria de Segurança Pública afirme que houve redução no número de assaltos a ônibus. Por Gilberto Barbosa, Leonardo Oliveira e Cesar Oliveira Os assaltos a ônibus são uma constante e assustam a população de Salvador que depende do transporte público para seguir […]

Gilberto Barbosa, Leonardo Oliveira e Cesar O. - 1 de dezembro de 2021

Direito à Cultura

Consumo de livros digitais aumenta e obras físicas têm baixa durante pandemia de Covid-19

Especialistas explicam que pandemia impulsionou mudança em formato de leitura. Por Adele Robichez, Felipe Aguiar, Nathália Amorim, Vinícius Harfush Um levantamento realizado pela reportagem em Salvador indicou que as pessoas passaram a consumir mais livros no formato digital durante a pandemia de covid-19. Segundo a pesquisa, que selecionou 68 moradores da capital para responder perguntas […]

Adele R, Felipe A, Nathália A, Vinícius H - 1 de dezembro de 2021

Economia criativa

Os desafios de viver de arte durante a pandemia

Assim como nós humanos, a economia foi imensamente impactada pelo distanciamento social, mas, felizmente, uma possível vacina para curar o problema já existe, e se chama criatividade. Não é exagero afirmar que nenhum brasileiro e nenhuma brasileira escapou ileso dos diversos e inesperados desafios vividos nos anos de 2020 e 2021. E eles têm um […]

Paulo Marques - 1 de dezembro de 2021

Direito à religião

Comunidades de matriz africana lutam por prática religiosa em espaços públicos de Salvador

Intervenções em locais comunitários preocupam terreiros que dependem da vegetação natural para exercer cultos Por Geovana Oliveira, Luana Lisboa, Victor Hugo Meneses e João Marcelo Bispo Até hoje, a vodunsi Mãe Cacau se emociona ao falar sobre o início das obras para a Estação Elevatória de Esgoto na Lagoa do Abaeté. Quando as máquinas chegaram […]

Geovana, Luana, Victor Hugo e João Marcelo - 1 de dezembro de 2021

Ordem de despejo

O caso da comunidade do Tororó, em Salvador, e a violação do direito à moradia

Moradores recebem ordem de despejo da localidade que está sendo especulada para construção de um estacionamento de um novo Shopping Center “Como os moradores são quase todos do mercado informal, a prefeitura ligava para eles e oferecia dinheiro. Como estavam todos sem dinheiro, começaram a negociar com a prefeitura. Nisso, com quem já tinha negociado, […]

Álene Rios, Júlia Lobo e Thainara Oliveira - 1 de dezembro de 2021

Cinema de rua

Histórias de quem viveu o cinema de rua de Salvador

Entenda o que aconteceu entre a época de ouro do cinema de rua e a expansão das grandes redes Tomar um café enquanto espera o horário do filme, entrar numa sala de cinema pequena, com menos de 100 lugares, para assistir a uma produção nacional. Esse ritual, muito comum até a década de 1990, é […]

Carol Cerqueira, Catarina Carvalho e Maria Andrade - 1 de dezembro de 2021

Direito à mobilidade

Pessoas com deficiência denunciam falta de acesso ao transporte de Salvador

Falta de fiscalização afeta funcionamento de elevadores em coletivos. Gabrielle Medrado, Gustavo Arcoverde, Marcela Villar e Rafaela Dultra Cadeirante desde 2014 após uma tentativa de assalto, o baiano Luan Veloso, 32, é paracanoísta profissional e terceiro colocado no ranking dos melhores do Brasil na maratona de sua categoria, a KL1, na qual atletas utilizam como […]

Gabrielle Medrado,Gustavo Arcoverde,Marcela Villar - 1 de dezembro de 2021

RAP em Salvador

O ritmo não para: batalhas de rima movimentam a cultura nas comunidades

Batalhas de rap voltam a acontecer em Salvador após suspensão causada pela pandemia de Covid-19 Após quase um ano e meio da pandemia de Covid-19, o setor artístico e cultural soteropolitano começou a tomar fôlego com a última fase de retomada das atividades econômicas, decretada pela prefeitura da capital baiana no dia 9 de julho […]

Danielle Campos, Kamille Martinho, Renata Falcone - 1 de dezembro de 2021

Direito à Segurânça

Não vá que é barril: A violência contra motoristas de aplicativo em Salvador

“Foi quando ele pegou a arma e apontou na minha cara, aí foi complicado”. Estamos na rua Candinho Fernandes, Fazenda Grande do Retiro, Salvador. São 8h30 da noite do dia 23 de dezembro de 2019, perto da véspera de Natal. Anselmo Cerqueira, que é motorista por aplicativo, está com o carro estacionado. Dois homens se […]

Adriano Motta, Lula Bonfim e Victor Lucca Ferreira - 1 de dezembro de 2021

Gerar problemas não é saudável

Consumidores relatam transtornos e dificuldades com planos de saúde

Mensalidades  subiram  quase 50% este ano, conforme aponta um levantamento divulgado pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) Por Andressa Franco, Everton Ruan e Laisa Gama No dia 25 de Março, Maria*, grávida de cinco meses, precisou ser encaminhada às pressas para o Hospital Santo Amaro. Ao chegar lá, precisou realizar uma cesária de […]

Andressa Franco, Everton Ruan e Laisa Gama - 1 de dezembro de 2021